domingo, 11 de mayo de 2008

PEDRO HOMEM DE MELLO




POETA

PROFESSOR

ESCOLA INDUSTRIAL INFANTE DOM HENRIQUE

PORTO

O que sei do meu professor de língua portuguesa...

A maioria diz que nasceu a seis de setembro de 1904 no Porto, mas há quem afirma que foi em Águeda.
O seu nome completo: Pedro da Cunha Pimentel Homem de Mello.
Estudou, na Universidade de Coimbra e de Lisboa, até formar-se em Direito.
Foi advogado e professor.
Notabilizou-se como poeta, num canto de amor profundo à terra e às tradições populares.




Tive-o como professor no Infante. Veio substituir, por doença, a José Amador.
Era um homem alto, elegante, sempre muito bem vestido, com um tom de voz forte e pausado, muito comunicativo: todo um Senhor. Cativava com uma personalidade tão distinguida.
Exigente, quando tínhamos que recitar aos poetas.
Manifestou um grande interesse pelo folclore e pelas danças populares. Sempre que podia tentava-nos com o folclore. Praticávamos as danças da nossa terra no ginásio: era a única ocasião em que nos juntávamos com as raparigas!
Desde então segui os seus passos literários.
É a partir de então que o nome e a fama do Poeta alcança certa magnitude, para não decair jamais.
Amália, cantou muitos poemas dele, havia uma boa química entre os dois. Ela dizia que era um homem extraordinário. -Tinha uma maneira de ser que eu gostava. Tinha um amor profundo por Portugal. Gostava da música da sua terra, era um homem à minha maneira. E um grande poeta. Às vezes mudava aquilo que não me dava jeito cantar. Consultava com ele, e aceitava. Há palavras que escritas ficam bem e cantadas não soam.

Estamos ante um poeta do povo por excelência, o que mais lhe satisfazia, mas um dos mais notáveis da sua geração.
Possui uma obra bastante extensa, quase tudo poesia, mas também algum ensaio.
Foram-lhe atribuídos vários prémios.
À entrada do restaurante "Garrafão" de Leça da Palmeira" encontrareis, sobre azulejos, um canto a aquela terra, a aquele mar.
O mesmo acontece no cemitério de Afife, nas terras de Viana, a sua grande paixão. Ali comprou uma casa, um velho convento rural Beneditino, junto ao rio, o Convento de Cabanas, donde pôde dedicar-se afincadamente, rodeado da paz que envolve o entorno, à sua obra poética e ao folclore.
Deixou-nos numa fria manhã de Dezembro de 1984.





Algumas obras:

Poesia

Caravela ao Mar (1934)
Jardins Suspensos (1937)
Segredo (1939)
Pecado (1942)
Os Amigos Infelizes (1952)
Grande, Grande era a Cidade (1955)
Eu hei-de voltar um dia (1966)
Poesias Escolhidas (1983)






Ensaio

A Poesia na Dança e nos Cantares do Povo Português (1941)
Danças Portuguesas (1951)
Danças de Portugal (1961)
Folclore (1971)




Talvez que eu morra no leito
onde a morte é natural.
As mãos em cruz sobre o peito.
Das mãos de Deus tudo aceito,
mas que morra em Portugal.


Prémios

Antero de Quental pelo "Segredo" (1939)
Ocidente por "Há uma rosa na manhã agreste" (1964)
Casimiro Dantas da Acad. das Ciências de Lisboa por "Eu hei-de voltar um dia" (1966)
Nacional de Poesia pelo livro "Eu desci aos infernos" (1972)




Retrato: sépia de Carlos Carneiro.

As imagens foram obtidas da pagela, postal e bloco, editados pelos Correios de Portugal: CTT.

33 comentarios:

poetaeusou . . . dijo...

*
pedro homem de melo
,
um amigo
do rancho tá-mar da nazaré,
,
reparem no rodopiar
das saias da nazarena
ágil, leve como uma pena
nos braços do bailador
o edmundo, o pescador
deus fenício ... ao meu olhar
,
de P.H.M. durante o ensaio final,
nos estúdios da RTP – Porto,1968 ?
,
Abç,
,
*

Justine dijo...

Bela homenagem ao teu antigo professor (deve ter sido um bom mestre, ou tu um bom aluno, porque o teu português é impecável) Eu lembro-me bem de o ver na TV, figura imponente, a ensinar-nos a gostar de música e cantares tradicionais.

Charlie dijo...

Que giro, eu frequentei a escola, agora secundária e não industrial, infante dom henrique durante 3 anos.. saí de lá no ano passado !

Belo post, gostei x)

Duarte dijo...

Excelente a vossa aportação! Veio enriquecer este documento.
A ausência da minha terra, sem duvida que me privou de muitas satisfações, como as que mencionais.

Justine, mesmo longe, não perdi o contacto com as nossas origens, mas sim perdi algo de vocabulário. É agora, com a vossa ajuda, que começo a recuperar-me. Conto contigo, que disso sabes muito.

poetaeusou, boa memória a que tens, ademais de criativo.
Essas palavras na pessoa e voz de PHM valem muitíssimo...

Charlie dijo...

Duarte, Rodrigo Miguel é uma das personagens criadas por mim.. tenho outras personagens, depois eu vou postando os textos que tenho sobre as mesmas..
não sei se Rodrigo Miguel já o disse à Salomé.. alias, nem sei se ele a conhece :)

pepa dijo...

Ya me habías hablado de este señor, pero desconocía que tuvieras tanta documentación.
¡Quedó fantástico! ¡Muy Bonito y enriquecedor!

pepa dijo...
Este comentario ha sido eliminado por el autor.
Duarte dijo...

charlie, são muitas as recordações, e todas boas, as que tenho dessa Escola; tanto pelas instalações, como pelo pessoal docente.
Que casualidade!
Que tal te foi? Bom, se já saíste é obvio que te tenha ido bem.

Esse Rodrigo Miguel...!
Mulher idealizada, algo próprio de um sonhador.
Já me contarás o progresso dessa relação.

9:37 PM

Charlie dijo...

Passei no Infante os melhores 3 anos da minha vida.. só saí de lá porque não havia o meu curso.
Fiz lá os melhores amigos, e passei lá os melhores momentos.

O pessoal docente continua a ser extremamente simpático e competente.. As instalações já estão bastante velhas e desgastadas, mas sempre acolhedoras !
A unica coisa que tem vindo a piorar no Infante é o ambiênte e os alunos que frequentam a escola.

Este ano então, das vezes que fui lá visitar professores e amigos fiquei um pouco desiludida por causa do ambiente..
mas guardo sem duvida, as melhores recordações :)

Juani lopes dijo...

dos grandes artistas juntos

mariadosol dijo...

Que grande e bonito trabalho acerca do Pedro Homem de Melo. Parabéns! Lembo-me bem de o ver na TV normalmente enquadrando manifestações de cultura popular. [Ah! E Afife é-me muito familiar sobretudo na Páscoa e no Verão...]
É um prazer vir por cá!
:)

Duarte dijo...

Maria do Sol, comentários tão alentadores como o teu, são os que me induzem em seguir nesta linha.
É um prazer presenciar que vens até aqui.

Charlie dijo...

Sim Duarte, estudo artes.. audiovisual mais concretamente.. cinema e fotografia :)

Duarte dijo...

Charlie, bonita eleição. Desejo-te os maiores êxitos. Considero que as mulheres sois possuidoras duma sensibilidade especial para estas artes.
Gosto imenso do mundo da fotografia.
Ali estudei electricidade, e aqui economia.
Tenho uma sensibilidade especial para as BBAA, sobre tudo para a escultura, como observador e apreciador!

mariam dijo...

olá de novo
pois foi ... fui ao outro seu cantinho!
ainda sou "noviça" nestas andanças... :)

belíssimas estas palavras e imagens...

concerteza... grandes... O aqui homenageado e quem o homenageou...

um sorriso largo :)

Duarte dijo...

Mariam, já tinha detectado a tua presença, que manifestava quando fazia algum comentário no teu blog, mas tampouco queria exercer nenhum tipo pressão sobre algo tão insignificante.
Nasci em Pedras Rubras, Maia; então uma cidade pequena da área do Porto. Vim para Valência há trinta e oito anos, depois da tropa.
Pude observar que sendo Países vizinhos, Espanha e Portugal estavam de costas, existe um grande desconhecimento por parte de ambos. Então comecei a escrever um livro, que nunca acabei, "Portugal, nuestro vecino, ese desconocido". Falta de tempo e de apoio.
Hoje, com mais tempo livre, criei uma Associação, com o fim de estreitar laços e nisso estamos. Temos o blog para contactar e eu lá vou deixando coisas que divulguem aspectos dos dois Países.
Satisfeita a tua curiosidade? Espero que sim e se não é assim podes fazer-me as perguntas que desejes, serás sempre atendida . É um dos meus lemas.

gaivota dijo...

grande homem, grande poeta, grande escritor e também professor, ensinou muito, muito, a muita gente!
por mim falo, até pelos programas que tinha na RTP, todos os tele-espectadores conseguimos ficar com mais saberes

São dijo...

Muito bom o divulgar este poeta.
António Inglês. que costuma ir ao meu espaço, conviveu com ele.
Saudações.

Duarte dijo...

Gaivota,
Não foi grande a convivência com PHM, mas intensa. Era uma pessoa com um dinamismo invulgar, mas de movimentos rítmicos, e sobre tudo com um grande afã de ensinar.
Creio que deixou um selo especial por donde passou, dada a sua personalidade, não passava inadvertido.

Duarte dijo...

São,
É um grande prazer ter-te por aqui. Uma pessoa da tua sensibilidade é sempre bem-vinda.
Vou tentar contactar com a pessoa que me indicas.
Sempre que vou ao Porto e nos encontramos, os de sempre, acabamos por levar a conversa para velhas recordações e, como não, recordamos o bom e grande professor PHM.

Tinta Azul dijo...

Gostei imenso deste post.

Ainda me lembro bem dos seus programas de televisão. E, recentemente, de contaram histórias sobre ele na praia de Afife.

Bonita homenagem sim senhor!

rouxinol de Bernardim dijo...

Excelente blogue. Pela vez primeira aqui estou e... me curvo respeitosamente a este templo de poesia!

Bandys dijo...

Muito obrigado pela visita!
Abraços

AnaPacheco dijo...

Antes de mais PARABÉNS!
Parabéns pela bonita homenagem que prestaste ao teu antigo professor. E que professor! Agora percebo a razão, ou pelo menos em parte, do teu português escrito ser tão bom estando tu há tantos anos afastado de Portugal ... pelo menos fisicamente. Nota-se que tiveste grandes mestres ... não tirando o teu mérito próprio, claro ;)
Pois vou ser sincera ... não conheço nada da obra deste poeta: Pedro Homem de Mello.
Como tu dizes, e bem, talvez por não ser muito da minha geração enquanto estudante ... não me lembro de o ter estudado na altura :(

Continua a brindar-nos com surpresas. Parabéns uma vez mais!
Beijinho
Ana Pacheco

Duarte dijo...

rouxinol de bernardim

Quando canta o rouxinol faz-se o silencio, ante esse canto embriagador.

Quando rouxinol de bernardim se expressa, dá inicio a una reflexão profunda.

Parabéns, pois fica sempre um pouco de perfume nas mãos de quem oferece rosas.

Vila do Conde.
O Ave cresce,
voa sobre Azurara,
afagos de preia-mar.

Duarte dijo...

Ana,
Muito obrigado.
"Ser agradecido, é de bem nascido"

Não só ao Pedro Homem de Mello, também ao José Amador, ao Pinto da Silva, à Maria dos Anjos...
Quando leias o meu livro "Recordar é viver", compreenderás a razão de tais sentimentos.

Tu quando soltas a palavra não ficas curta.

Um grande abraço pleno de boa amizade.

Claudinha dijo...

Bela homenagem! Eu tive colegas dde escola com este sobrenome. Abraços!

Juani lopes dijo...

Joaquin, no se si te pasa lo mismo, pero mira a ver que la ultima imagen no sale o tienes ahi un hueco muy grande
saluditos

aurora dijo...

¡Como tenía que haber sido este señor de joven!Como un amanecer a la vida.

Duarte dijo...

Juani,
Es el sitio donde estaban los vídeos musicales con fados y folklore "da Terra".
Sinceramente no sé que pasa.
Voy intentar corregir: en caso contrario quedará así.
Gracias por tu colaboración

Joaquín dijo...

Como estás de atado a tus raíces!
Un buen trabajo, te felicito.

Abrazos

Caldeirada de Enguias dijo...

Olá, eu também fui aluno de Pedro Homem de Mello na Escola Industrial do Infante D. Henrique. Andei nessa escola nos anos de 1968/69 e 69/70. Tive-o como prof. de História. Estava já em final de carreira e nem deu aulas durante todo o ano por um problema de saúde.
Também fui aluno, mas em Ovar, do Dr. José Amador. Homem austero.
Ontem mesmo (dia 4 de Setembro) estive na Escola do Infante a assistir a uma Tertúlia sobre Pedro Homem de Mello, onde se contaram peripécias e curiosidades do Professor, do Poeta e do Homem ligado à defesa das nossas tradições populares. Foi um serão muito agradável. A conversa foi sendo intervalada com fados cantados por Natércia Maria, conceituada fadista e antiga aluna da Escola.
A Escola do Infante faz este ano 125 anos de existência e têm sido levadas a cabo algumas iniciativas alusivas à efeméride. Também foi criada uma medalha relacionada com as comemorações.

José Regalado - OVAR

Duarte dijo...

José Regalado,
Ante tudo um muito obrigado pela noticia de tão valiosa informação.
Fui até lá para matar saudades. Consegui um cartaz e fiz muitas fotografias, que incluirei num post que vou preparar sobre a efeméride.
Não pude assistir aos actos, o que muito lamento, já que sou um apreciador de fados e do nosso folclore, em parte influenciado pelo Pedro Homem de Mello.
Estavam a começar as aulas e ninguém soube dizer-me como conseguir dita medalha, se volto, pelo Natal, vou fazer uma nova tentativa.
O José Amador foi um bom professor, e até um grande amigo para mim. Coincido com o que dizes.
Digo muitas vezes que muito do que sei foi aprendido no Infante.
Agradecido e reconhecido, um abraço