viernes, 6 de enero de 2012

A MENINA NUA



Passámos, olhámos, e até, por vezes, contemplámos, mas muitos de nós apenas sabemos que é "A MENINA NUA".

Esta estátua está situada ao fundo da Avenida dos Aliados, no Porto. Faz parte da decoração urbana e é uma obra digna de contemplar.

É uma estátua que todo o Porto conhece, mas quem é “a menina nua”? Depois de muitos anos consegui desvendar a incógnita.

Convido-vos a conhecer a Aurélia Magalhães Monteiro, a Menina Nua: uma advertência, é um relato comovente, elaborado com maestria e mestria.


Chamava-se Aurélia Magalhães Monteiro, e era conhecida por Lela, Lelinha ou pela «Ceguinha do 9» - para a eternidade ficará sempre a ser a «Menina Nua» da Av. dos Aliados, ou ainda uma estátua que toda a cidade conhece e aprecia.
Nasceu no dia 4 de Dezembro de 1910, na freguesia do Bonfim e, pouco tempo antes de falecer, dizia-me «que tinha sido uma das mulheres mais apreciadas e cobiçadas do seu tempo...».
Vivia no rés-do-chão do Bloco 9, do Bairro da Pasteleira, numa casa simples e humilde com flores a enfeitarem a entrada e a sala de jantar.
Um dia convidou-me a entrar e contou-me um pouco da história da «Menina Nua»: - «Tinha 21 anos quando fiz de modelo para o Henrique Moreira, o mestre que fez a estátua; mais tarde colocaram-me na Av. dos Aliados - que belos anos aqueles! Estive duas semanas a «posar» e ainda hoje recordo com alegria e saudade aqueles momentos de trabalho, pois posso morrer amanhã que todos ficarão a saber quem era a Lela... Além disso, nessa altura, dava-me bem com os artistas, era bonita e eles convidavam-me, andava por toda a parte, ganhei uns «cobres» com o Henrique Moreira, mas hoje... resta-me a consolação de estar ali, de costas voltadas para o Almeida Garrett e de frente para o D. Pedro IV. Perguntei-lhe, nessa altura, se não tinham existido certos problemas com a estátua, a sua nudez, por exemplo: proibições, censuras?
-«Ela respondeu-me - bem, sabe que naquela época havia certos sectores que se opunham claramente e até ficaram escandalizados com a «Menina Nua»; nós éramos muito tacanhos e veja bem que há 50 anos as ideias eram realmente diferentes, havia o Salazar, a PIDE e o povo era mais fechado, mais religioso - felizmente o mestre Henrique Moreira conseguiu «levar a água ao seu moinho», e lá fiquei de pedra e nua, assim como Deus me votou ao Mundo... (Sorriu de imediato, mostrando ainda réstias de um rosto bonito e de uma boca fina, onde rareavam já alguns dentes, vítimas do peso dos anos e das canseiras e desgraças da vida). -... Além disso, imagine uma «moçoila» no tempo «da outra senhora», a expor-se toda nua perante uns homens de tela e pincéis ou bocados de pedra, bem... era quase como ser comunista ou mulher da vida...
Fez-se uma pausa para mandarmos umas «bocas» contra o sistema do antigamente e prossegui nessa altura, perguntando-lhe: - quando e onde tinha começado a ser modelo? Antes de me responder, fica um pouco pensativa, levanta-se e encaminha-se para o seu quarto, vasculha dentro do guarda-vestidos e traz-me um amontoado de papéis e fotografias - Vá, veja lá tudo isto, diz-me: (anotei visualmente uma série de fotografias, pequenas referências, recordações e memórias da «Menina Nua»): «... De qualquer modo, e se a memória não me falha, comecei com o mestre Teixeira Lopes, na figura-modelo da rainha D. Amélia, esta estátua encontra-se actualmente no Museu com o mesmo nome, em Vila Nova de Gaia. Nessa época, tinha muita vergonha - era uma «moçoila» com 18 anos, bem feita e bonita -, a minha mãe tinha falecido e fiquei mais tarde com uma madrasta, de quem por acaso não gostava nada, por isso mudei-me para o Bonfim, para casa da minha santa avó. Que tempos... nessa altura, iniciei-me como modelo nas Belas Artes do Porto e lentamente fui-me habituando, até que fiquei mais descarada... (Levantou a cabeça, e numa reflexão interior com risos de vaidade e inconformismo), continuou:... Ah, nesse tempo, punha a cabeça dos rapazes em fogo, era bonita e não havia ninguém que não me conhecesse como a «Menina Nua». Depois passei alguns anos como modelo, andei pelo Norte, pelo Sul e até a Lourenço Marques (hoje Maputo) eu fui - fiz de modelo para vários mestres, entre eles: Acácio Lino, Joaquim Lopes, Dórdio Gomes, Sousa Caldas, Augusto Gomes, Camarinha, e os consagrados Henrique Moreira e Teixeira Lopes. Além da «Menina Nua», estou no Buçaco, no Cinema Rivoli, em Lisboa e em Moçambique... e hoje? como vê aqui estou desde os 43 anos cega, uma vida difícil de adaptação, um mundo escuro, negro. E mais negro se tornou, aquando da morte do meu marido, fiquei completamente só.
Hoje, passados alguns anos, tenho um casal a viver comigo, sempre me ajudam a pagar a renda e a «fazer-me» um pouco de companhia. Tenho umas ajudas do Centro de Dia da Terceira Idade, ligado ao Centro Social cá do bairro, onde vou almoçar e lanchar, enfim, sempre ajuda a passar o tempo e a velhice. Mas o que eu mais desejava na vida, além de mais dinheiro para viver, era dos meus ricos olhos... (algumas lágrimas correram-lhe pelas faces, enquanto se preparava para ir almoçar ao Centro...) Despedi-me dela, tentando consolá-la com frases de carinho e amizade, mas... a vida é um cão que não conhece o dono; ela despediu-se (nessa altura) com um bom dia, entrecortado com um sorriso mor gaiato, misto de Ribeira, Bonfim e Pasteleira...


Aurélia Magalhães Monteiro, a Lela, Lelinha, ou a «Ceguinha do 9», faleceu no dia 2 de Junho de 1992, com 82 anos de idade; no entanto a «Menina Nua» continua viva, fixa e eterna, ali na Av. dos Aliados, envolta nos nevoeiros citadinos, perpétua e ardente, nos dramas e vitórias deste povo.

Do livro Pasteleira City, de Raul Simões Pinto – edições pé de cabra – Fevereiro de 1994
Fotografias: Joaquín Duarte


68 comentarios:

Dilberto L. Rosa dijo...

Salve, caro Duarte: que rica história e ainda mais rica a persona bela da moça presa no tempo (e na pedra) de um tempo que lhe fora feliz... Além da linda escultura feminina (que belo sorriso esta estátua estampa!), fica a plenitude de uma época vivida por uma mulher que acabou seus dias infeliz... Bravo pela postagem!

E, amigo, não precisa ser tão gentil: soletrei a esmo umas palavrinhas de Espanhol (e ainda erradas, rs) e me elogias?! O que seria mais interessante é se pudéssemos, um dia, conversar oralmente, porque aí poderíamos ver as firulas cheias de ricas idiossincrasias que se intercalam entre o Espanhol e o Português (uma vez que transitas pelos dois idiomas tão bem)! Meu abraço e apareça!

carol dijo...

Que linda história, amigo Duarte! E absolutamente desconhecida para mim.

Onde vai usted buscar este conhecimento todo?

Beijinhos

Bete M. Silva dijo...

Que história bonita.
Feliz 2012.

Bj.

Mª Jesús Verdú Sacases dijo...

Es una belleza de monumento, querido Duarte, parece una princesa de luz.

Espero que el 2012 te llene de bendiciones y yo poder seguir teniendo la bendición de leer y disfrutar de las hermosas palabras e imágenes de tu blog.

Te dejo todo mi cariño y mi reconocimiento a la extraordinario labor que haces a través de tu blog

La Gata Coqueta dijo...



En una hoja en blanco escribo
un bello día de cumpleaños,
un amanecer de ilusiones,
y un año más de vida,
que con placer comparto.

En Mis caricias del alma
he dejado un trozo de tarta
y un sencillo detalle,
para celebrar este día
con la calidez de tu alma.

María del Carmen

La Gata Coqueta dijo...
Este comentario ha sido eliminado por el autor.
Duarte dijo...

Dilberto,
Não é questão de gentileza, mas sim de reconhecimento ao esforço feito por alguém, neste caso tu.
Assim é, algo que sempre me chamou a atenção, esse sorriso constante e ademais belo.
Um grande abraço

Duarte dijo...

Carol,
neste caso veio duma iniciativa do meu amigo Manel, que sabe o quanto me agrada tudo que tem que ver com a nossa terra.
Faz-me feliz saber que é do teu agrado.
Beijinhos

Duarte dijo...

Bete,
estou plenamente de acordo contigo.
Satisfaz-me imenso voltara ver-te por aqui.
Um grande abraço

Duarte dijo...

María Jesús,
esa es mi intención, reforzada, sabiendo que te agrada.
Recibe todo mi afecto en un gran abrazo

Sara dijo...

Uma história de vida pouco convencional. Ainda bem que alguém a ouviu e narrou, e ainda bem que o Duarte a trouxe até nós. Não a esquecerei quando por ela passar, lá pela Invicta :)
Um beijinho e bom fim de semana.

Augusta dijo...

Joaquim,
A Menina também fica bem aqui.Dás a conhecer uma das riquezas da nossa cidade do Porto.
Sempre que por lá passo é obrigatório olhar para ela, "Que bonita"
Obrigada pelo teu trabalho.
Obrigada pela divulgação.
O Manel vai ficar feliz.
Boa semana!
Um abraço.
Augusta

Duarte dijo...

Sara,
bem vale a pena essa contemplação. O trabalho que me deu limpá-la... as pombas não perdoam, nem a arte!
Um grande abraço, e os meus parabéns, Sra. Doutora.

Duarte dijo...

Augusta,
sei que gostas, e também sabes que levo a malta daqui para que a contemplem. Uma bela escultura. Mas a menina também ajudou com a sua beleza.
Veremos a reacção o Manel.
Boa semana também para ti. já sem a Rita (:
Um abraço imenso

Duarte dijo...

MAIS DADOS.
O AUTOR DA OBRA, O ESCULTOR HENRIQUE MOREIRA, DENOMINOU-A "JUVENTUDE", MAS SE VAI AO PORTO E PERGUNTA POR ESTA ESTÁTUA CON ESSE NOME POUCOS SABERÃO AO QUE SE REFERE, MAS SIM, SE MENCIONA A MENINA NUA.

Navegar é preciso.. dijo...

Oi Duarte,

Você está sempre a nos presentear com bonitas fotos e lindas histórias. Gostei muito! Bjs!

Poetiza dijo...

Hola Joaquin, que bello este paseo por tus letras, como siempre, me pierdo en pensamientos cuando te leo amigo. Te dejo un beso, cuidate mucho. Gracias por todo. Para ti deseo lo mejor.

Duarte dijo...

Navegar é preciso,
Amiga, este é o fim para o qual foi criado este blog. Se estou a acertar, satisfaz-me.
Abraços

Duarte dijo...

Sandra,
sabes que existe reciprocidad.
Agradezco tus afectos.
Te abrazo, y cuidate

elvira carvalho dijo...

Obrigada por este post. Pela partilha de conhecimento que nele se transmite. Não conheço a estátua, conheço mal o Porto mas encantou-me a história da mesma.
Um abraço e bom ano

Duarte dijo...

Elvira,
a mim passou-me o mesmo, sendo do Porto.
Se fui do teu agrado, eu tao feliz.
Um forte abraço

lita duarte dijo...

Duarte, a história é muito interessante.
Imagens bonitas.

Bjos.

Duarte dijo...

Lita,
fruto da tua sensibilidade.
Também gostei.
Abraços

Luís Coelho dijo...

Conheço esta estátua da cidade do Porto, mas não conhecia nada de nada da sua história.
Aos poucos vais apresentando temas e figuras da nossa história que a muitos desconhecem, como eu.

Gostei de ler toda a história e no final concluí:
- Beleza efémera. Tudo passa, tudo morre e desaparece...

Manuel A Lopes dijo...

Parbéns Duarte.Mais um contributo para a divulgação cultural da nossa cidade. Com uma bela foto e um enquadramento perfeito produziste um belo trabalho,à tua imagem, que me deixou deliciado. Um abraço e um ano cheio de alegria.

Duarte dijo...

Luis,
amigo, o que nos acontece a muitos, eu tampouco. Essa é a minha intenção.
A minha conclusão vai mais pela lei de Lavoisier, e neste caso mais, pois aí fica, perene, o seu sorriso e a sua beleza corporal.
Um amigo que te abraça forte

Duarte dijo...

Manel,
contava com isso, pois a iniciativa foi tua. As fotos já a tenho, há tempo, como muitas outras coisas do nosso Porto: faltam-me essas historias deliciosas que tu me contas.
Obrigado pelas boas intenções... palavras amigas que agradeço.
Um abraço grande e tudo de bom, mas sempre!

Justine dijo...

Soube bem ler a tua história, Duarte. Distraiu-me uns momentos...
Beijo, amigo

tulipa dijo...

AMIGO
decidi terminar a minha actividade no blog "Deabrilemdiante" de uma forma diferente, ou seja, fazer uma homenagem póstuma à criadora do blog, a minha sobrinha.

Porque hoje é o dia que marca a passagem de 3 anos (11-Janeiro-2008) do "princípio do FIM" da derradeira etapa dela nesta Vida.

Aproveitei para agradecer aos seguidores e a todos que durante estes anos me têm visitado...
não o encerro, ficará aberto, pois aquilo é o meu diário;
apenas cesso a actividade.

Gostaria que lá fosses ler, não dá para deixar comentário nesse post, só no anterior, mas como foste das pessoas que acompanhou todo o processo da minha perda, estou a deixar o recado da minha intenção.

Para a Tânia:
As sombras existem
sempre existiram na minha vida.

Mas, as saudades que tenho de ti
espalham-se pelo chão
deixam-me vazia...

Luto
sim, podes acreditar
que luto, para
não precisar tanto
mas...tanto,
da tua presença.
Deus,
quando me irei curar
desta ausência na minha alma?

Descansa em Paz.

Dois Rios dijo...

Sou meio como você, meu amigo. Não sei apreciar uma coisa sem dar uma volta completa no objeto da minha admiração. Enfim, gosto de saber das histórias que envolvem as estátuas de uma cidade.

Presumo que se agora passasse pela Av. dos Aliados, certamente a estátua A Menina Nua soaria, para mim, como uma triste canção.

Sua pesquisa foi impecável, como sempre.

Meu terno e admirado beijo,
I.

Duarte dijo...

Justine,
fico feliz por isso, sendo pouco no que posso mitigar dadas as circunstancias actuais.
Abraço forte, querida amiga

Duarte dijo...

Tulipa,
lembro-me disso. Uma noticia que me comoveu.
Recordar é bom , quando o que se tem para reviver é tão imenso como aquilo que tu tens.
Fazes bem em lutar, mas não te esqueças que recordar é viver.
Um grande abraço e cuida-te muito

Duarte dijo...

Inês,
expressas-te com a alma, desenhas palavras com um véu de beleza.
A Menina Nua, desde então, já não representa o mesmo para mim, esta foi autentica!
Abraço-te com a emoção que me inspiras

rendadebilros dijo...

As suas belas fotos são mais uma vez o pretexto para as contemplarmos e para aprender sempre algo mais da nossa História e histórias de vida... Abraço.

Rodolfo N dijo...

Mi buen amigo, muy bonita historia adornando la serenidad de la escultura.
Te deseo un magnífico año a vos y los tuyos.
Un abrazo!

Duarte dijo...

Rendadebilros,
vindo de ti tem outro sentido, já que sabes muito dessas artes. Obrigado.
Um grande abraço

Duarte dijo...

Rodolfo N.,
querido migo, sabes de mi sensibilidad para estas cosas. Me alegra saber que te ha gostado.
Te deseo lo mejor, siempre.
Un fuerte abrazo

Graça Pereira dijo...

Conheço a estátua mas...não conhecia a história que me comoveu!
Tenho a certeza de que, quando passar de novo pelos Aliados, olharei com ternura a"Menina Nua" e talvez uma lágrima desça pela
minha face por esta mulher que nunca deixou de ser Menina!
Obrigada, meu Amigo, por tanta coisa bonita que nos dás a conhecer.
Beijo e bom fds.
Graça

Duarte dijo...

Graça,
as tuas palavras comoveram-me, fruto do que escreveram sobre ela, por isso a minha advertência inicial. Uma prova mais da tua grande sensibilidade, sempre tão à flor da pele.
Aquilo que levo ao blog está bastante meditado previamente.
Um grande abraço e a minha admiração

São dijo...

Desconhecia tanto a estátua como a estória de vida da modelo.

Quando for ao Porto, vou estar atenta.

Um bom final de semana, meu amigo.

La Gata Coqueta dijo...



Un abrazo
una sonrisa
de espuma blanca.

Rozando
las rocas
el fin de semana

Acariciadas
en continuo cortejo.
por el sol del ocaso.

Murmullo de sonatas
poemas de amor
suspiran las caracolas.

*****

Tan acariciada
como las rocas
me has hecho sentir.

Celebrando a mí lado
un año más de mi vida.

Gracias infinitas
por tan estimada compañía

Te quiere!!

María del Carmen


Duarte dijo...

São,
vale a pena que te acerques. Destaca.
Um bom fim de semana e um forte abraço

Duarte dijo...

María del Carmen,
Querida amiga, sabes la debilidad que tengo por el modo tan bello y personal que tienes de hacer las cosas. Fui, y, como siempre, me has dejado encantado, para no decir perplejo, ante algo tan bello y digno de ver. Te felicito de nuevo.
Que vengan muchos más y con mucha salud.
Un fuerte abrazo y mi amistad

Canduxa dijo...

Quando de novo passar por ela e a olhar vou sentir o mesmo que senti ao conhecer a sua história.
A estatua da "Menina Nua"....que conheço tão bem!
Obrigado por me ensinares a olhar com outros olhos para o que vejo vezes sem conta.

O meu abraço cheio de carinho

Poetiza dijo...

Hola amigo de distancias cercanas, paso a dejarte un beso con mis letras. Cuidate mucho Joaquin.

Duarte dijo...

Canduxa,
sempre fui assim, vou pelas ruas e vejo aquilo que outros no logram perceber. Até no cinema, sou incapaz de seguir o argumento, mas fixo detalhes que depois ninguém recorda.
Obrigado amiga.
Recebe todo o meu afecto num abraço

Duarte dijo...

Sandra,
ahora es cuando tenía que irme a Monterrey!...
Te abrazo con la delicadeza que me inspiras. Cuidate mucho...

Silenciosamente ouvindo... dijo...

Vi tanta vez essa estátua e estava
bastante longe de imaginar a história
de quem lhe deu corpo.Que bom ter
descoberto tudo isto e ter feito
este trabalho que as pessoas do
Porto lhe deviam agradecer.Eu que
não sou do porto, agradeço.
Um grande beijinho padrinho e
e que tenha um bom fim de semana.
Beijinhos

AFRICA EM POESIA dijo...

deixo-te o meu desabafo...

...............................

vim deixar um beijinho.

E dizer que sexta feira 13 ou 14 é a mesma coisa.
O importante é sermos nós.
E fazermos o que gostamos e sentirmos que fazemos o nosso melhor.
Eu sou prova de isso mesmo.
muita gente com a minha saúde estava a morrer e a tentar piedade. Eu gosto de ser forte.Eu gosto de lutar.
Depois gosto muito dos meus amigos e da minha família.

Depois sinto a tristeza de andar por aqui..
E sentir que alguém me odeia...

tenho uma pessoa que entra no blog como anónimo(A) e sempre que lanço um livro ou faço uma coisa bem feita entra e insulta-me gratuitamente com o pior que pode haver.Desta vez até me acusa deste Pais estar mal por minha causa...

tenho enviado o mail a algumas pessoas e não querem acreditar no que lêem.

Para mim não faz diferença, se por ele(a) passar um acidente que fique numa cadeira de rodas e a seguir um cancro.. espero que me diga depois como foi fácil viver e dar a volta por cima.

A minha poesia causa-lhe asco mas eu não mando ler ,o meu blog tmb que causa asco, mas não tem que vir aqui...
Aqui a minha casa para eu estar com quem gosto...OS meus AMIGOS.

Depois ,um anónimo é um cobarde sem rosto.É uma pessoa mal amada e penso que com graves problemas familiares mas uma pessoa assim nunca poderá ser feliz..
faça um buraco e esconda-se...

Peço desculpa mas o anónimo diz que anda pelos blogues a ver o que escrevo, por isso a mensagem fica.


A net tem destas coisa...deixa entrar tudo e ás vezes entra lixo..contra isso nada feito.

Beijos e poesia no meu Cantar África.




Estão diligências para descobrir quem é...( mas aceito ajudas...)

Duarte dijo...

Silenciosamente ouvindo,
a mim também me passou o mesmo até hoje, por isso a divulgação.
Não pretendo isso, com a vossa presença sinto-me compensado.
Um grande abraço, querida amiga

Duarte dijo...

Lili,
não faças caso, elimina as entradas e acabas com a peste. Eu nem as lia.
Tive um caso parecido, uma indesejável, e ante a indiferença acabou por cansar-se.
Sim, é desagradável.
Sei que existe em Google um controle desse tipo de comportamentos, o que me parece muito bem para ver se eliminam intromissões. Oxalá.
Os que te conhecem, querem-te: como eu. És uma pessoa maravilhosa, amiga dos teus amigos, como podes ter quem te inveje? Deve ser um desequilibrado/a mental.
Um grande abraço e a minha amizade

vieira calado dijo...

Olá, boa noite, como tens passado!

Interessantíssima essa história.

Eu nada conhecia dela.

E já agora

e embora um pouco tardiamente

venho retribuir os votos

de BOM ANO DE 2012!

Um forte abraço.

de Bom Ano de 2012.

Saudações poéticas!

Sara dijo...

Querido Joaquín la he traducido entera y es una preciosa entrada, una preciosa historia para comienzo de año...otro año más en tu compañía, excelente y cálida compañía, con tus bellas aportaciones.

Abrazotedecisivo lleno de cariño.

Claudinha ੴ dijo...

Olá Duarte!
Que linda história!
Gosto de saber sempre o que o artista representou, a história que o levou a tal arte e a história dela é comovente. Uma mulher à frente de seu tempo! Um beijo e , mais uma vez, obrigada por partilhar!

Duarte dijo...

Vieira Calado,
foi o que me levou a trazer este tema aqui.
Não te preocupes que sempre chegas a tempo.
Estou bem e desejo que tu também...
Abraços

Duarte dijo...

Sara,
son aquellas cosas que ves a diario y que estás lejos de pensar en su trasfondo. Ahora la miraré de otro modo...
Un gran abrazo, querida amiga

Duarte dijo...

Claudinha,
sinceramente... comoveu-me.
Isso foi precisamente o que me levou a tomar esta iniciativa.
Estou de acordo contigo, esta senhora foi uma adiantada para a sua época. Sempre me chamou a atenção que esta estátua estivesse numa das artérias mais importantes do Porto...
Beijinhos

manuela barroso dijo...

Vi o blog num pps que me enviaram.
"Amigos de Portugal" é um título curioso para os tempos em que a amizade é um bem tão raro como imprescindível. Espanha.Sorri. Sou pouco menos que raiana - Gerês.
E aqui estou.
Desconhecia a história da "menina nua" se bem que ligada um pouco às artes, antes. Nunca se sabe tudo. Obrigada, pois.
Abr

La Gata Coqueta dijo...



No soy un poeta,
soy un principiante
de palabras rimadas y pensadas
para no herir los sentimientos
de quienes las lean cuando se acercan
cual inexperta mariposa
a besar el aroma de los acantilados.

Cada día se vive un verso diferente,
motivo de sobra ilustrado
para continuar el camino
con la vista fija en el horizonte,
apoyado en la esperanza y el sosiego
no permitiendo el retroceso
al más endeble de los pensamientos.

Un beso de amor y ternura

María del Carmen


Duarte dijo...

Manuela Barroso,
Gerês, que maravilha!!! Esa harmonia do homem com a mãe natureza. Gosto, mas há algum tempo que lá não vou, mas irei...A suíça portuguesa, mas mais bonito.
Obrigado, são palavras que estimulam a seguir.
Essa foi a ideia e as raízes fizeram-se sólidas.
Bem-vinda e que sigas vindo por aqui.
Alterno aspectos da nossa terra com os de Espanha, sobre tudo de Valência.
Sempre estamos a aprender, aqueles que somos inquietos...
Um grande abraço

Duarte dijo...

María del Carmen,
si, que lo eres! Tu sensibilidad te convierte en una poeta de matices afectivos, que tanto agradan.
Tus versos brotan con la frescura que imprimes al poema formando estrofas de ensueño. Te felicito.
Recibe todo mi afecto y un gran abrazo

La Gata Coqueta dijo...



Cuando mires las estrellas
acuérdate de mi
porque en cada una de ellas
he dejado un abrazo para ti.

Pasa un feliz fin de semana
y serás protagonista
de un millón de sonrisas.

María del Carmen


Duarte dijo...

María del Carmen,
gracias por tus palabras de buena amistad.
Te deseo lo mejor.
Abrazos y mi afecto

poetaeusou . . . dijo...

*
enternecedora história de vida !
,
olha, envio-te metade da Buika,
.
Dime porque tienes carita de pena
Que tiene mi niña siendo santa y buena
Cuéntale a tu padre lo que a ti te pasa
Dime lo que tienes reina de mi casa
Tu madre la pobre no se donde esta
Dime lo que tienes, dime lo que tienes
Dime lo que tienes, dime la verdad
Mi niña lola, mi niña lola
Ya no tiene la carita del color de la amapola
Mi niña lola, mi niña lola
Ya no tiene la carita del color de la amapola
.
in – Buika~,
,
um mar de abraços, fica,
*

Dilberto L. Rosa dijo...

'Saludos, rey de la nostalgia'! Rs. Anda fazendo falta uma postagem nova, hein?! Traga-nos logo alguma peça rara escondida pelas belezas do Velho Continente! Meu abraço e apareça nos Morcegos: tu, que és o rei das saudades, vais gostar da postagem de lá, eu acho!

Duarte dijo...

Zé,
assim é a vida, amigo, muitas vezes excessivamente cruel, sendo vida.
Agradeço a tua maneira de ilustrar este espaço... enchendo-o com a arte do verso.
Um grande abraço para ti

Duarte dijo...

Dilberto,
foi coisa de horas, já a tens.
Deixas-me inquieto, não demorarei em ir.
Abraços

tecas dijo...

Esta, meu querido, conheço bem e visito-a muitas vezes:)
Bem hajas por colocares no teu blog uma das estátuas mais belas da minha cidade. Adorei. És um doce.
Bem hajas pelo teu trabalho, sem renumeração.Muito amor à arte!!!
Beijinho amigo e continuação de bom domingo.:)