sábado, 15 de enero de 2022

MUSEU MILITAR DO BUÇACO



O Museu Militar do Buçaco foi inaugurado em 27 de Setembro de 1910, por altura do 1º Centenário da Batalha do Buçaco, pelo rei D. Manuel II, em homenagem à vitória do Exército Anglo-Luso travada a 27 de Setembro de 1810. 


O edifício situa-se quase no coração da Mata do Buçaco, junto da Capela de Nossa Senhora da Vitória e Almas, que durante o período da batalha foi aproveitado pelos Frades Carmelitas Descalços do convento próximo, para acolher um hospital de sangue, onde foram assistidos os feridos da batalha de ambos os exércitos, sem qualquer distinção.







Expôe valiosas coleções que remetem para esta batalha napoleónica, como peças e utensílios de Índole militar do início do Séc. XIX, pequenas figuras uniformizadas, guiões e medalhas, cartas militares e topográficas do terreno.



A ideia é dar uma perspetiva do que foram as Invasões francesas e do papel fundamental que a Batalha do Buçaco teve no bloqueio das forças napoleónicas, onde as tropas napoleónicas, sob o comando do Marechal Massena, às anglo-lusas, comandadas pelo Duque de Wellington. Napoleão prosseguia com a Terceira Invasão Francesa, com os franceses a percorrerem a margem direita do Mondego em direção a Coimbra e Lisboa, depois da tomada de Ciudad Rodrigo, Almeida e Viseu.








Wellington, com o seu exército estendido pelos cumes da Serra do Buçaco, entre a Senhora do Monte Alto (Penacova) e o Ninho da águia (Aljeriz), decide aproveitar a posição vantajosa que detinha nas alturas escarpadas da serra para fazer frente ao inimigo e infligir uma das primeiras derrotas ao Império de Napoleão. Na noite de 27 de Setembro, as tropas francesas forçaram a passagem pelo Buçaco, no trajeto Viseu - Coimbra, mas foram travadas pelo exército anglo-luso









Ampliado e remodelado em 1962, expõe também três pequenas áreas dedicadas a cada um dos exércitos que participaram no conflito - portugueses, ingleses e franceses - , com a mostra de uniformes e de gravuras de momentos da Batalha do Buçaco. Em destaque está uma peça de artilharia que foi usada nesta batalha acompanhada da respetiva guarnição de fogo.










HORÁRIO DE ABERTURA

Manhã - 10H00 - 12H30
Tarde - 14H00 - 17H00


ENCERRA

Segunda-Feira
Dia de Natal
Dia de Ano Novo
Domingo de Páscoa
Dia 01 de Maio


Informações: Museu Militar do Bussaco
Telf.: 231 939310
E-mail:
 
musmilbucaco@exercito.pt

 


26 comentarios:

Majo Dutra dijo...

Não sabia da existência deste museu...
Wellington fez um bom trabalho, mas morreu muita gente em Portugal e Espanha.
Bom fim de semana, Duarte. Abraço.
~~~~~~~~~~

Francisco Manuel Carrajola Oliveira dijo...

Já visitei este museu à uns anos atrás e gostei bastante.
Um abraço e tenha um excelente fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Rosa dos Ventos dijo...

Conheço bem este museu!

Abraço

Duarte dijo...

Majo,
não foi à primeira tentativa que o consegui, por estar fechado. Desta vez sim e regressei mais ilustrado. Está montado duma forma bastante didáctica.
Assim foi. A Espanha inicialmente colaborou e o irmão do Napoleão até chegou a ser rei de Espanha. Em Portugal as coisas não foram igual, mesmo com a mortandade, como no desastre da ponte das barcas no Porto. Roubaram. mataram. mas foram derrotados.
Efectivamente, Wellington jogou um papel importantíssimo.
Bom Domingo, Majo..
Abraço de vida

Majo Dutra dijo...

Aplaudo e agradeço a tua ótima reportagem.
~~~~

Duarte dijo...

Francisco Manuel,
são momentos históricos que conservar latentes. Grande heroismo.
Forte abraço para uma boa semana.

Pedro Coimbra dijo...

Os meus avós viviam na Pampilhosa.
Desde pequenino a visita a toda essa zona (Mealhada, Luso, Buçaco, Anadia,...) era semanal.
Abraço, boa semana

Sandra Figueroa dijo...

Sin duda es precioso, como tus fotos. Saludos amigo Joaquin. Cuidate.

Graça Pires dijo...

Uma lição de História acompanhada de uma excelente reportagem fotográfica. Obrigada por partilhar.
Uma boa semana com muita saúde.
Um beijo.

Justine dijo...

Levei lá o meu filho há muitos, muitos anos, mas com a tua reportagem vais ser responsável por uma outra visita minha!!!
Abraços

** L e n a ** dijo...


Belas fotos e boa visita deste museu com o melhor guia..
Gostei muito da parte escrita relatando um pouco de história.

Beijinhos querido amigo Duarte

é sempre um enorme prazer de vir ver tuas postagens

CÉU dijo...

Olá, Duarte!

Não sabia da existência deste museu, mas tu deste-nos uma boa aula de História e com imagens.
As invasões francesas e suas consequências, a batalha do Buçaco etc. foi tudo muito bem explicado. Obrigada por partilhar.

Um grande abraço e bom Ano Novo.

Duarte dijo...

Rosa,
depois de observar que algunos amigos desconheciam da sua existência, opté por trazer até aqui aquilo que vi e que tanto me agradou, pelo facto de estar conservados feitos tão importantes da nossa história.
Forte abraço, amiga Rosa.

Duarte dijo...

Pedro,
que bom. Ao viver no Porto íamos frequentemente para aqueles lados, mas desconhecia, então, a existência deste Museu.
Sendo assim, deves conhecer bem a zona.
O que sim lembro é a existência duma árvore, no Buçaco, ao qual Wellington amarraba o seu cavalo. Suponho que fazia parte da lenda, ou do mito.
Um forte abraço

Duarte dijo...

Sandra,
me alegra que te haya gustado. A mi también me gusta mucho la historia.
Un gran abrazo de vida y cuídate mucho.

Duarte dijo...

Graça Pires,
se foi do teu agrado, eu feliz.
Gosto de história e de fotografar, por isso esse resultado.
Bom fim de semana.
Abraço de vida

Duarte dijo...

Majo,
nada tens que agradecer faço-o com agrado. Gosto de História e de fotografar.
Beijinhos

Duarte dijo...

Zé,
está bem pensado, pois houve uma ampliação. Seguirás ganhando.
Abraço de vida

Elvira Carvalho dijo...

Um excelente post não só pelas imagens como pela história que as completam.
Estive lá perto há anos mas infelizmente não deu para visitá-lo.
Amigo, peço desculpa pela ausência. Os meus olhos continuam a dar-me grandes problemas, estive no sábado numa clínica particular, e saí de lá tão desanimada que chorei toda a tarde. O especialista disse-me que eu tenho um grande astigmatismo, mas os olhos não aceitam a correção. Todas as lentes que tentou me punham pior do que já estou. De modo que me disse que a única esperança poderá estar em que a situação mude quando me tirarem os últimos pontos, mas não me pareceu muito convencido. Além disso não faço ideia de quando o hospital de Santa Maria me volta a chamar para tirar os pontos.
Abraço e saúde

São dijo...

Interessante Museu, aqui tão bem documentado.

Beijinho afectuoso, querido amigo

Duarte dijo...

Lena,
querida amiga, o meu agradecimento pelas palabras que proferes, ajudam a seguir e a melhorar.
Um grande abraço de vida, para uma longa vida.

Jovem Jornalista dijo...

Tenho vontade de visitar!

Boa semana!

O JOVEM JORNALISTA está em Hiatus de verão entre 18 de janeiro à 04 de março, mas comentaremos nos blogs amigos.

Jovem Jornalista
Instagram

Até mais, Emerson Garcia

Duarte dijo...

Céu,
agradecido quedo pelo elogio que fazes aos meus conhecimentos de história. Sempre gostei mas fui para o mundo da tecnologia e não estou arrependido, pois permite-me dedicar-me à história.
Um prazer, querida amiga, ver-te por aqui.
Um bom ano, um bom fim de semana e muitos beijinhos.

Duarte dijo...

Elvira,
Muita calma, acabarás ficando bem. Cuida-te muito e verás como tudo se solucionará. Quando te tirarem os pontos vais ver muito melhor. Fui operado de cataratas e só melhorei na distância e sigo com óculos. Também tenho astigmatismo.
Irás ao Buçaco e então poderás visitar e contemplar aquela maravilha de Museu.
Um forte abraço de vida, nosso e da malta da turma. Já acabamos com a leitura da HERANÇA, gostamos muito, como de tudo aquilo que escreves. Agora vem os arranjos... já o verás.

Duarte dijo...

São,
agradecido por tão sincera apreciação.
Abraço de vida, querida amiga São.

zenoawaddey dijo...
Este comentario ha sido eliminado por un administrador del blog.