martes, 16 de febrero de 2010

IGREJA DA LAPA - PORTO



Erguida no monte de Germalde, em Janeiro de 1755, a capela inicial era de pequenas dimensões. Nela era guardada a imagem de Nossa Senhora da Lapa, onde vinham muitos penitentes, sendo este o motivo pelo qual passou a chamar-se Capela de Nossa Senhora da Lapa das Confissões.



A planta do templo actual, em estilo Neoclássico, demonstra a proliferação de colunas e frontões, começou a ser executada em meados de 178... ficando concluída a escadaria em 1826. No entanto a torre do lado poente concluiu-se em 1855 e a outra em 1863.



A singularidade deste templo reside no facto de nele estar guardado o coração de D. Pedro I, Imperador do Brasil, que o doou ao povo portuense como prova de afeição e reconhecimento.



Na capela-mor, por trás duma pesada porta de bronze, está o coração de D. Pedro IV, oferecido à cidade pela viúva a Imperatriz D. Amélia de Beauharnais, cumprindo o desejo do marido. Cada 4 anos a porta é aberta, por funcionários da Câmara Municipal do Porto, de modo a poder substituir o líquido na jarra em que o coração está inserido.



O túmulo que guarda tal relicário apresenta num lado a bandeira de Portugal e no outro lado a do Brasil, ostentando ainda na parte superior as armas aspadas do Duque de Bragança.




O coração do Imperador do Brasil e Rei de Portugal( D. Pedro IV), está cuidadosamente guardado num vaso de prata dourada gravado com duas inscrições, sendo a primeira em latim e a segunda em português. Das quais se transcreve:
« D. Pedro, Duque de Bragança, fundador da liberdade pública, seu doador e vingador havendo, por impulso da Divindade e com a sua grandeza de alma, aportado às praias do Porto (Memória - Lavra - Matosinhos) e tendo ali, com o seu exercito (que descansou no largo da feira em Pedras Rubras - Moreira - Maia) e pela grande e quase incrível ajuda que lhe prestaram os Portuenses, vingando ao mesmo tempo e com justas armas, a Portugal, tanto do tirano que o oprimia como de toda a sua facção, elegendo o Duque, por isto mesmo, e ainda em vida, aquele lugar onde tão magnanimamente expôs a própria vida pela Pátria, para nela, depois da morte, descansar o seu Coração. Amélia Augusta, amantíssima consorte do Duque, querendo, de boa vontade, cumprir o voto de seu Esposo, colocou, reverentemente, nesta urna, os despojos mortais do Coração do seu marido.»











A inscrição em português reporta-se a uma proclamação dirigida por D. Pedro IV ao povo Portuense, aquando da sua visita à Invicta em 1834:
«...Eu me felicito a mim mesmo por me ver no teatro da minha glória, no meio dos meus amigos Portuenses, daqueles a quem devo, pelos auxílios que me prestaram durante o memorável sitio, o nome que adquiri, e que honrado, deixarei em herança aos meus filhos.»





A Irmandade de Nossa Senhora da Lapa foi instituída em 1755 pelo Papa Bento XIV. No dia 17 de Julho de 1756 foi começada a construir a Igreja, de modo a substituir uma capela mais pequena.





No coro-alto foi colocado em 1995 um órgão de tubos da autoria do mestre-organeiro alemão Georg Jann. Trata-se do maior órgão da Península Ibérica.




Esta igreja foi um projecto do arquitecto José Figueiredo Seixas. Igreja de uma só nave, com cobertura de madeira. Destaque para o granito lavrado do arco-cruzeiro. Na capela-mor podemos admirar um retábulo, estilo Luís XVI, desenhado pelo escultor Simão de Brito, e um painel, da autoria de Joaquim Rafael.





LOCALIZAÇÃO
Largo da Lapa - Porto
4050-069 PORTO
Distrito: Porto
Concelho: Porto
Freguesia: Cedofeita

HORÁRIO
Todos os dias:
08.00-12.00/ 14.30-17.00
PREÇOS
Entrada Grátis

70 comentarios:

Juliana Sphynx dijo...

Fascinante! E não só pela idade, como pela conservação e bagagem histórica

Duarte dijo...

Sabia que existia, mas nunca tinha entrado com a firme ideia de conhecer a fundo este extraordinário património. Fui directamente à sacristia, falei com a pessoa adequada, que me autorizou, y fiz o que pude... é muito escura, tectos altíssimos, e era Agosto! pleno verão!
Agradeço a apreciação

Sara dijo...

Sabias que siempre que quiero descubrir y saborear algo de tu pais, venir aquí, a tu casita es tenerlo asegurado???,a que ya te lo había dicho eh!!!eh!!!a que si. Pues así es, y además se que así es, como si te tuvieramos más cerquita del corazón que es donde te llevamos ya mi poeta y yo.
Un placer siempre descubrir cosas de tu tierra, de estar en tu casita.
abrazotes llenos de afecto

Sandra dijo...

Ola amigo..Sumiu???
Bem as coisas, e os afazeres, sempre nos tiram um pouquinho do tempo..
Mas amei conhecer mais um pedacinho do Porto..Tenho certeza, que quando lá for..será muito mais fácil identificar..
Linda Portugal..
Meus sonhos..E vou concretizer..Não faltará a oportunidade de conhecer todas essas lindas realidades dai...
Imagens fantásticas da Capela..
Historias de D. Pedro que fazem a nossa história..Um grande abraço, amigo..

Venha viajar comigo para Portugal na Magia da Poesia.
Estou participando do Concurso 2ª fase.
Te espero por lá.Será um grande prazer viajar na sua companhia.
Carinhosamente,
Sandra

Duarte dijo...

Sara,
existe reciprocidad y eso es algo muy bello.
Iré divulgando cosas de aquí y de allá.
Cuando os saturéis avisa, para cambiar de tema.
Os abrazo fuerte

Duarte dijo...

Sandra,
neste existe um elo de união entre esses dois grandes Países irmãos, o rei Dom Pedro. Ainda que nasceu em Portugal foi para Brasil muito novo. Quando voltou, além de querer evitar o que o irmão estava a tramar, no fundo foi ara proteger à filha, depois rainha, já que perigava a possibilidade de reinar. O Porto ajudou-o, mas o Miguel, o irmão, não se deixou vencer facilmente.
Passarei a ver-te para viajar na tua companhia já que nos une a amizade e o idioma.
Recebe todo o meu afecto num forte abraço

Sandra dijo...

O meu filho nasceu na Ordem da Lapa, mesmo em frente a esta igreja. As flores foram oferecidas à Igreja....

Nasceu fez ontem 2 anos, exactamente no dia em que escreveste este post. Obrigada Duarte...uma rica prenda de anos para mim que também estou de parabéns...ele ainda é muito pequeno.

E confesso, com alguma vergonha, que não conhecia a história contada.
:)

Canduxa dijo...

A viver aqui no Porto há 37 anos, a passar no Largo da Lapa há outros tantos não conheci esta maravilha senão agora e pelo que aqui li.
Fiquei encantada e surpresa com tanta história, imagens lindíssima e maravilhosos vitrais.
Ver o Porto através dos teus olhos é lindo!
Parabéns e obrigado por partilhares tantas coisas belas deste Porto encantador.
Obrigado pela tua passagem sempre simpática no meu mundo.

um abraço

Ana Martins dijo...

Caro Duarte,
Portugal tem monumentos maravilhosos que são o rosto da sua linda história.
Também nunca entrei na Igreja da Lapa embora conheça bem o Porto.

Parabéns por estão cuidado e excelente post.

Grata pela visita e comentário!

Beijinhos,
Ana Martins

Duarte dijo...

Sandra,
parabéns! Sim, por escrever algo tão belo, por ter um filho, algo imenso, e por ser mãe.
Que casualidade! conseguiste emocionar-me: coincidências desta vida.
Sempre tive uma grande inclinação por este Rei e desejava deixar constância disso nesta homenagem.

Cada dia aprendemos algo novo, fico contente por ter sido eu a divulgá-lo. :))

Duarte dijo...

Canduxa,
como já sabes, estou apaixonado pela minha terra, sempre que vou descubro algo novo, ou me recreio com o já sabido. Este é um dos casos que sempre me cativou e pelo qual me sinto atraído. Dom Pedro é um dos casos a estudar profundamente. Veio do Brasil! Um feito histórico que engancha, faz adeptos.
É como a vejo, estou apaixonado, ela tem-me fascinado!
Como gostas-te, fico contente.
Beijinhos

Duarte dijo...

Ana Martins,
já tinha entrado várias vezes, mas nunca em todas as dependências, o que fiz agora, pelo menos até onde se pude chegar.
Estive algum tempo ali sentado para embeber-me das vibrações que me invadiam ao desfrutar de tanta beleza e historia.

Sempre expresso aquilo que sinto. Se foi do teu agrado, sinto-me recompensado e estou agradecido pelo teu gesto, sentires e dizeres.
Um forte abraço, desde a emoção

Poetiza dijo...

Mis ojos se llenan de belleza al visitarte, que bellas fotos.

-----------------------------------

DOLOR RIMA CON AMOR

¿Quieres que escriba algo ilusionado?
¿Que mis letras no lleven dolor?
Mi querido amigo de país alejado
dolor rima siempre con amor.

Las musas no acudieron a mi llamado
el tiempo se llevo el color
de la gardenia que al verso perfumado
un día diera vida y calor.





UN REGALO PARA TI

De lejanas tierras aztecas mí querido amigo.
Un beso va cruzando agradecido el ancho mar.
Anhelando llegar lleno de ilusiones contigo.
Risueño y emocionado a ti quiere saludar.
Tímido va de mi amistad como mudo testigo.
Esperando en tu ser de poeta poder descansar.

-----------------------------------

Gracias por estar siempre en mi rincon poetico amigo Duarte. Gracias por las palabras y amistad brindada, te dejo un beso desde lejanas tierras mexicanas, cuidate mucho.

Hellag dijo...

pois é, a globalização é mesmo isto! conhecer Portugal por um amigo espanhol!!!grata pelo texto e as fotos estão excelentes, realço os vitrais...demais!

Justine dijo...

Nunca lá entrei, Duarte, mas mal comece a andar(???) irei visitá-la pela certa, de tal modo atraente tu a descreves!
Beijo

rendadebilros dijo...

Reportagem muito completa e atractiva...
Abraço.

Duarte dijo...

Poetiza,
eso es lo que pretendo, no te quiero ver triste.
Me atrae la rima y sobre todo los sonetos.
Escribes muy bien y logras la rima adecuada.
Busca en el jardín la flor cuyo olor te embriague...
Gracias, por el regalo y más por lo que en él expresas. Deja esa tendencia para la melancolía que tus versos abrigan.
Si, amor rima con dolor... cómo sabor!
Deduzco, pero aún así insisto, para que intentes alejar pasados que duelen.
Recibe todo mi afecto en un beso

Duarte dijo...

Hellag,
recordo as palavras dum amigo que se definia como ateu, e que lhe encantavam as artes contidas nas igrejas.
Assim é, para ver arte e envolver-se de paz, uma igreja, independentemente dos sentires religiosos.

Uma aclaração. Sou português de nascimento ainda que nacionalizado espanhol. Sinto o calor nas minhas veias do sangue luso, e agradeço à Pátria que me recebeu o muito que me deu... hoje, às duas amo: não seria justo se pensasse e actuasse doutro modo.
Agradecido

SOU PORTUGUÊS

Sem querer,
essa humidade que cria a emoção;
fez que essa gota liquida, mas cálida,
deslizasse pelas minhas faces,
até encontrar-se com o canto da boca;
para deixar esse sabor salgado,
como o do nosso mar;
mas que, foi-se transformando em doce;
ao embeber-se da pujança da ternura,
néctar de vida… a saudade!
Fazendo-me inchar o peito
e proferir com orgulho, sou português!

Duarte dijo...

Justine,
querida amiga, começas a acumular muitas coisas!...
É bom ter muito por ver, para que se possa ir assimilando sem tensões, sempre más companheiras de jornada.
Bom, já cheira a pólvora. e a partir do dia um de março haverá uma "mascletà" todos os dias... começa a aquecer o ambiente!
Beijinhos

Duarte dijo...

Rendadebilros,
fico sumamente agradecido pelos qualificativos.
Abraços

São dijo...

Lindo! Interessante a informação sobre a substituição do líquido onde se agoga o coração de Pedro.

Um abraço, amigo meu.

Duarte dijo...

São,
querida amiga, essa foi a explicação que me deram.
Estava intrigado. Eis uma parcela da nossa historia!

Um grande abraço

ADiniz dijo...

Hj estou aqui pra agradecer tuas palavras, o que sempre é muito bom. A rica dos detalhes, exigem um olhar atento,preciso de mais tempo ainda mais com tanta arte vitral, e aproveito o momento pra dizer que a muito tempo assiti um filme que mostra este orgão "tocando", não recordo o nome, mas vou descobri e assim te digo.
Bjinhos, e navegar por estes mares sempre é um prazer.

Duarte dijo...

ADiniz,
agradeço a tua amabilidade.
Aguardo que me digas algo. Investiguei e sei que é alemão, com uma sonoridade destacável, o que pode fazer que se empregue para distintos fins.
Um grande abraço

gaivota dijo...

lindíssima esta igreja! continuo a visitar o porto contigo...
gosto muito de igrejas, e os vitrais, lindíssimos!
beijinhos

Duarte dijo...

Gaivota,
temos gostos paralelos pelo que vejo.
Ontem estive na exposição da "Luz de las imagenes", em Valência, e fiquei maravilhado com o que vi, que não conhecia, desta cidade, já verás!
Um grande abraço

mdsol dijo...

Meu caro Duarte

Brilhante. Simplesmente brilhante mais este teu post.
Muito obrigada.

Um abraço

:))))

Duarte dijo...

Mdsol,
vais por-me como um arco-íris, menos mal que não me vês!...
É uma grande satisfação comprovar que se faz algo que agrada. Obrigado eu.
Beijinhos

Sandra dijo...

Querido amigo Duarte. Quanto a imagem do avião eu peguei na net. Se vc. quizer é só passar lá e copiar.
Sem problema nenhum..Não tem como eu te arrunmmar. Foi tirado net para ilustrar a minha viagem ao blog do chico. Espero poder te ajudar assim. De outra forma não poderei ser util.. até por que nunca andei de avião.
Um grande abraço,Amigo.
fiquei muito feliz em te ver por lá.
Curiosa e os demais blogs agradecem o seu carinho.
Um grande abraço,
Sandra

Duarte dijo...

Sandra,
obrigado.
Se fosse uma fotografia tua teria outras dimensões e mais qualidade em pixeles, a que utilizaste tem menos, mas vou ver se serve.
Tenho uma grande paixão pelos aviões!
Seguimos em contacto.
Beijinhos

Poetiza dijo...

Duarte, gracias por los versos y gracias por estar por mi rincon de tristezas y alegrias. Te dejo un beso, cuidate mucho. Lindo domingo para ti.

Duarte dijo...

Poetiza,
tus deseos, son mis deseos para ti.
Quiero que te animes, para que tus versos logren otro tono... de igual belleza.

Que tengas un buen domingo en tu bella Monterrey. Cuidate.

Besos

~pi dijo...

história e beleza

continuadas,,,

[ da terra onde ainda vivo e

da que me

re velas : )

muitíssimo mais do que eu

conheço!!



[ de facto o teu olhar é

loooooogo e apaixonado

nas

palavras e imagens

que

aqui nos mostras e que

vejo

"assim" pela

peimeira vez!!






beijo, abraço







~

Duarte dijo...

~pi,
satisfaz-me saber que te provoquei essas sensações, essa é a intenção!

Como el refrán español... depende del color del cristal con que se mira...

Se assim o viste eu fico encantado da vida.
Gostei do que disseste, e do como o fizeste.

Um forte abraço e a minha admiração

tulipa dijo...

Vou ao Porto uma vez por ano e...nunca fui para esses lados...
Quem sabe da próxima vez eu vá e entre.
Quando entro numa Igreja, seja ela qual for, fico muito estranha, fico algum tempo ali sentada, sentindo as vibrações que me invadem, ao desfrutar de um lugar que tanto representa, cheio de beleza e história.

Eu comecei quase há 5 anos esta etapa da blogosfera, mas...encontram-se amigos, sim é verdade; no entanto, estou a pensar desistir de aceitar comentários; o blog será mais um bloco de notas para mim, pois há pessoas que chegam e ofendem, assim sem mais nem quê...
É triste!!!

Num dos meus blogues, coloquei uma foto juntamente com um poema que escolho que tenha a ver com algo que a foto tenha, percebes?
Então esta foto é à entrada do "Hotel dos Templários" na bela cidade de Tomar.
Neste caso, pela perspectiva é à saída...vinha eu de máquina ao pescoço como sempre e vejo aquele ângulo, pareceu-me interessante e clic...já está!!!
Decidi que vou fazer esta
"rubrica" uma vez por semana e naquele blog "DeAbrilemdiante", bem como outra rubrica que vou dar início já a seguir com o tema "Recantos de Hóteis".
É o meu objectivo para 2010, para também poder utilizar as centenas de fotos que tenho.

Hoje é dia de festa, de alegria e também de concretização de um sonho, o meu blog "Momentos Perfeitos" chegou ao nº 100 de "Seguidores", fico mesmo feliz, acredita.
Fiz um post alusivo a esse nº 100.
Sempre escrevi e também fotografo para divulgar ideias que vou tendo e como não posso chegar às pessoas como jornalista nem repórter, utilizo os meus 2 blogues para esse fim.

Bom Domingo.
Excelente semana.
E um beijo da Tulipa.

Duarte dijo...

Tulipa,
uma exposição perfeita.
O que te acontece a ti é o que nos acontece a todos. Sempre há quem não pode ver a alguém feliz, e começa a fazer estragos. Que só obtêm êxito se queres, senão só tens o contratempo de eliminar dita intromissão. Já tive algum caso desses. Outras coisas compensam plenamente. Aí está o equilíbrio.

Tudo aquilo que me contas, quanto às novas iniciativas, parece-me excelente, mas não te esqueças que uma obra de arte sem público e sem critica carece de vida.

Que tenhas uma boa semana.

Um forte abraço

Poetiza dijo...

Duarte, que bello es leerte, gracias por animarme, un dia lo lograre, veras que si. Te dejo saludo y beso desde mi lindo Monterrey, cuidate.

Duarte dijo...

Poetiza,
Sandra, me he quedado enganchado a los cerros de tu tierra, como ahora con la delicadeza y ternura de tus versos.

Un fuerte abrazo... cuidate

Angela Ladeiro dijo...

Vão lá muitos anos e conheci o meu marido na Lapa. Esse lugar está cheio de memórias... As suas fotos estão fantásticas. Boa reportagem.

Dois Rios dijo...

Meu querido amigo,

A História jorra suntuosa e fascinante aqui por essas bandas. Parabenizo veementemente o seu primoroso e requintado trabalho de pesquisa. Já disse um par de vezes, mas não custa repetir. Sempre saio daqui mais rica do que entrei.
===
Estive adoentada, e quando melhorei viajei para a serra por duas semanas para fugir do calor senegalês dessa terra. Admito que um calor de 41,8° com sensação térmica de 50° não comporta a minha tolerância. Foi por essa razão que não retribuí, de imediato, o carinho da sua sempre prestimosa visita.

Beijos muitos,
Inês

Duarte dijo...

Angela,
congratula-me conhecer essa circunstância, é um lindo pormenor a agregar à historia desta igreja,
Satisfaz-me saber que tudo é do teu agrado.
Obrigado

Duarte dijo...

Inês,
supus que estavas de férias, sempre seria muito melhor!
Certo, tudo aquilo que seja uma aportação de dados e conhecimento, para mim também é bem-vindo.
Se já estás bem isso anima-me no ensejo de reclamar a tua presença.
As temperaturas extremas não as suporto! O que me leva a compreender a tua situação.
Um beijo imenso, consequência da espera...

Lena dijo...

Gostei deste passeio Duarte,
es um bom guia;
quando visito algum sitio,
gosto de entrar em todas as capelas e igrejas...
Por vezes o que me falta é o saber do porquê...da historia do monumento.

Um beijo

Duarte dijo...

Lena,
tudo deve estar vinculado com o que nos inculcaram.
Digo isto por passar-me o mesmo. Também é certo que em algumas demoro mais do que em outras, mas pelo património artístico.
Sempre anda alguém pelas igrejas que sabe muito sobre elas, o padre, o sacristão, uma beata, são a melhor fonte de informação.
Um grande abraço

Claudinha ੴ dijo...

Duarte, como sempre você nos fascina com as imagens de suas terras. Eu me sinto muito em casa, por causa da minha distante Ouro Preto e de sua arquitetura e imagens semelhantes. Obrigada!

Adorei particularmente as imagens de santos. Qualquer dia escrevo obre minha infância e estas imagens. Tem muita história pra contar,rsrs.
Beijo.

Duarte dijo...

Claudinha,
claro que sim, a arquitectura que aqui imperou foi a que se empregou em terras distantes, influenciada por aquela cultura.

Parece-me uma boa ideia, gosto imenso daquilo que escreves... fascinante.

Um grande abraço

Poetiza dijo...

Duarte, que alegria leerte y saber que recuerdas mi bello Monterrey. El Cerro de la Silla, es el simbolo y orgullo de los Regiomantanos. Gracias por leerme, te dejo un beso, cuidate amigo.

direitinho dijo...

Olá Duarte, bom dia
Hoje passei por aqui e vou seguir-te.
Gostei muito do teu espaço e os temas abordados são muito do meu agrado.
Gosto do Porto. Gosto de história e arte sacra. Gosto das tradições populares que desenvolves a seguir.
Uma abraço para ti e votos de que continues com esse brilho de história e fotografia.

rendadebilros dijo...

Tantas vezes que já fui ao Porto e nunca me lembrei de ir a esta Igreja ... os vitrais também são lindíssimos...
Abraço.

Duarte dijo...

Poetiza,
Sandra, un cerro que se divisa de todos los sitios: la silla, es que tiene forma de silla!
Estuve cinco días, no dio para mucho pero visité lo más importante y conocí a personas interesantes.
Besos y un abrazo

Duarte dijo...

Direitinho,
deixaste-me quase sem poder coordenar, tantas palavras de consolo juntas não é ao que estou habituado, o que me provocou um estado hipnótico momentâneo.
É certo que a historia me atrai enormemente, assim como o mundo da fotografia.
Se tudo isto é do teu agrado vai passando que seguirei captando a tua atenção.
Obrigado pelo empurrão... para seguir...

Um abraço

Duarte dijo...

Rendadebilros,
passa por lá que não te vais arrepender. Não só pela igreja, também pela irmandade e o recheio de arte.
Beijinhos

María dijo...

Amigo Duarte:

¡Qué bellas vidrieras así como los santos, la iglesia...! una bella exposición la que compartes, muchas gracias, Duarte.

Hace unos minutos he visto en la tv los destrozos que ha ocasionado la lluvia, en Portugal, concretamente, Madeira, no sabía nada, y me ha impresionado, nada más ver las noticias me acordé de mi buen amigo de Portugal: Duarte.

En España también ha habido inundaciones, concretamente, en Andalucía, es terrible ver las imágenes.

Espero que estés bien amigo mío.

Un beso.

Duarte dijo...

María,
gracias, estoy muy bien.
Te he enviado unos pps sobre Madeira, en uno el drama y en el obro sus bellezas... ahora a recuperar.
Recibe todo mi afecto en un abrazo

Manuel (Solrak) dijo...

Bellos lugares, los que nos muestras siempre, y buena nota de ellos estamos tomando.
-SOLEDAD-
Precioso poema el que me has dejado en mi tiempo de poesia, aunque estoy seguro, de que persona como tú, nunca tendra el conocimiento de ese vocablo, pues de nosotros sienpre tendrás la compañia, aunque sea een la distancia.

Un fuerte abrazo.

Duarte dijo...

Manuel,
en aquel momento expresé lo que sentí...
Gracias por el "afago", sé que puedo contar con vosotros, siempre. Ojo, existe reciprocidad.
Um fuerte abrazo

poetaeusou . . . dijo...

*
Duarte,
,
quase apetece gritar,
como o D. Pedro,
calma em Valencia
que o Porto é nosso . . .
,
um abraço,
,
*

Dois Rios dijo...

Cadê o meu amigo de Portugal que anda sumidinho daqui?

Saudades!

Inês

Duarte dijo...

Zé,
Desconhecia que D. Pedro tenha proferido tal grito... acaso sabia onde está Valência?

Abraços

Duarte dijo...

Inês,
passo por aqui todos os dias mas quase nunca te avisto...
Adoro-te!!!

Dois Rios dijo...

Huummm... Está havendo, então, um pequeno desencontro. Físico, eu diria, porque de coração, estou sempre contigo.

Meu beijo, querido amigo,
Inês

Duarte dijo...

Inês,
bom, precinto que existe reciprocidade, fico mais tranquilo.
Meu beijo, querida amiga

AFRICA EM POESIA dijo...

Duarte
junto o meu gritoAO TEU. a MADEIRA É LINDA E VENCEDORA...
UM BEIJO NO TEU CORAÇÃO...

Duarte dijo...

Lili,
Não se pode pedir outra coisa! A Madeira é muito para todos nós, fui feliz na Madeira e quero continuar a sê-lo.
Um chi-coração

RMC dijo...

Interesante informacion y buen post
un placer leerte.
que tengas una feliz semana
un abrazo.

Brancamar dijo...

Obrigada Duarte pela forma como vais divulgando com tanto pormenor a cultuta portuguesa e a sua História, muito particularmente a do Porto.
Muito se aprende por aqui.
Beijinhos
Branca

Duarte dijo...

RMC,
reconfortante tu comentario. Esto es lo que realmente recompensa. Gracias.
Feliz semana, y un abrazo

Duarte dijo...

Brancamar,
aquilo que se aprende de criança dificilmente se olvida e se é divulgado perpetua.

Obrigado
Um grande abraço

Ronilda David dijo...

Impossível Duarte, eu entrar aqui e meus olhos não encherem de lágrimas
É tanta saudade...tanta que as vezes falta-me o ar, ver esses lugares onde andei, toquei, respirei, onde descansei a alma e hoje tão longe.Mas como como é ditado: a esperança é a última que morre e sei que um dia eu retorno.
Mais uma vez meu amigo, por deixar esse portal aberto para os peregrinos saudosos como eu.
Boa semana.

Duarte dijo...

Ronilda,
se passeias um pouco neste espaço vais ter muitos momento emocionantes. São o sentir que quem, como tu, está longe.
Boa semana e um abraço