viernes, 15 de marzo de 2019

FALLAS 2019


Cartaz da Falla da Câmara Municipal, fora de concurso, e que neste ano teve um orçamento especial.


LA PLANTÀ
A montagem


Partindo de figuras da arte greco-romana, o projeto introduz a realização de uma reflexão sobre o valor artístico e o poder social que possuem as Fallas, com o fim de reivindicar o seu lugar, sem complexos, na história da arte. Esta proposta denota nos artistas de Pichiavo uma forte vinculação com a cultura contemporânea e uma profunda admiração pelo universo Fallero.
Assim, Latorre e Sanz voltam a montar na Praça da Câmara, com estes artistas urbanos, depois da experiência do ano passado com a colaboração de Okuda San Miguel, demonstrando a vontade de continuar avançando na diversidade desta arte Fallera e estabelecer colaborações entre as diferentes manifestações artísticas.
Como aconteceu no ano passado, a falha será construída fundamentalmente de madeira, não só no interior, mas também quanto ao volume artístico externo, onde também se usarão outros materiais, como o papelão pedra. A escala empregada nestas figuras mitológicas facilita o uso da madeira como material natural, em forma de ripas, que proporcionará, ao ser queimada, uma combustão limpa.































FELICES FIESTAS FALLERAS PARA TODOS 

FALLA GANHADORA








Até ao próximo ano em Fallas. 

jueves, 28 de febrero de 2019

UNIVERSIDADE DE COIMBRA


PAÇO REAL






D. Dinis ao assinar o “Scientiae thesaurus mirabilis”, criava a Universidade mais antiga do país e uma das mais antigas do mundo. Datado de 1290, o documento dá origem ao Estudo Geral, que é reconhecido no mesmo ano pelo papa Nicolau IV. Começa a funcionar em Lisboa, sendo transferida definitivamente para Coimbra em 1537, por ordem do Rei D. João III, após um período de migração entre estas duas cidades. É no Paço Real da Alcáçova, mais tarde Paço das Escolas, que se concentram todas as Faculdades da Universidade de Coimbra – Teologia, Cânones, Leis e Medicina. 






Inicialmente confinada ao Palácio Real, a Universidade foi-se estendendo por Coimbra, modificando-lhe a paisagem, tornando-a na cidade universitária, alargada no século XX com a criação do Pólo II, dedicado às engenharias e tecnologias, e já neste século com um terceiro Pólo, na área das ciências da saúde.









Hoje em dia, a Universidade de Coimbra conta com oito Faculdades (Letras, Direito, Medicina, Ciências e Tecnologia, Farmácia, Economia, Psicologia e Ciências da Educação, Ciências do Desporto e Educação Física) e mais de 22 mil alunos.
Em 2015 celebrou-se os 725 anos da sua existência. Contando com um património material e imaterial único, fundamental na história da cultura científica europeia e mundial, é desde 2013 Património Mundial da UNESCO.












Destacam-se, pelo seu interesse histórico e artístico, os seguintes elementos:
A Porta Férrea (1633 – 1634); a Escadaria de Minerva, cuja configuração actual data de 1724; a Torre da Universidade (1728 – 1733); o Edifício dos Gerais (1698 – 1702), reformado na década de 1770; a Via Latina (1773 – 1777); a Capela de São Miguel, de origem manuelina; o Colégio de São Pedro, inaugurado em 1545, com uma profunda reforma entre finais do século XVII e inícios do século XVIII; a Biblioteca Joanina (1717 – 1725); o Auditório da Faculdade de Direito, terminado em 2001.













E, como sempre, esta flor para ti...