martes, 16 de octubre de 2018

CRUCERO NOCTURNO EN EL DANUBIO


BUDAPEST


Empezaba a atardecer y ante nuestros ojos la gran belleza de 
BUDA y de PEST 


En una situación así sobran las palabras.
Os dejo en la contemplación...







































Y, en la oscuridad, este LIRIO para ti. 




domingo, 30 de septiembre de 2018

NEW YORK PALACE CAFÉ



Como sempre digo, as cidades são livros que se leem com os pés. E assim foi, mas neste caso com ajuda do carro elétrico 6, que nos aproximou desde o Danúbio a esta maravilha. O regresso foi a pé, para cumprir com a máxima antes mencionada.




Estava na lista e ainda que dois dias são poucos para espremer uma cidade tão grandiosa em todos os sentidos, havia que selecionar e esta era uma paragem obrigatória.


Está considerado um dos cafés mais bonitos do mundo e agora já posso afirmar que assim é. O serviço algo lento, mas com a quantidade de visitantes que recebe está justificado. Tivemos que suportar uma bicha de quase meia hora, mas valeu a pena. Já não é só no Majestic do meu Porto!



Aqui vos deixo aquilo que vi e o que lá tomei, e que estava muito bom!
Carito sim, mas no conjunto está o equilíbrio. 






O que me contaram deste sitio:
Disseram-me que se fundou a 23 de Outubro 1894. Este café foi constituído como um espaço de reunião de artistas, de membros da nobreza, mas também de cidadãos comuns.
Está integrado ao luxuoso Hotel Boscolo de Budapeste. Com uma decoração eclética e pomposa, que evoca o estilo renascentista italiano, com frescos realizados a mediados do século XIX. 
A tal beleza se lhe unem os impressionantes candelabros venezianos que proporcionam a luz idónea para uma agradável convivência. Assim como as imponentes colunas salomónicas em forma helicoidal.
No princípio do século XX este espaço passou a ser frequentado por intelectuais e editores. Os jornais mais influentes da cidade foram editados na galeria da parte superior do café.
Por outra parte, desde os tempos da Belle Époque, infinidade de actores, pintores e escritores húngaros participaram ali de animadas reuniões com os sus colegas.
Durante a Segunda Guerra Mundial sofreu enormes estragos com a invasão nazi. Passou então a ser uma loja de artigos desportivos, para reabrir as suas portas como café em 1954 com o nome de Hungária. Não foi restaurado até 2006, quando recuperou o nome e o seu esplendor actual. 








































É ao único ao que posso convidar-vos, que foi o que tomei e gostei.


Trouxe esta margarida que adornava a mesa para ti...


Direção: 
Erzsébet krt. 9-11
1073 Budapeste