sábado, 8 de enero de 2011

OS MOLICEIROS



Umas velas imensas
naquela quietude!
Água cristalina, prata,
no reflexo quebrado
das cores garridas
dos moliceiros.






O barco moliceiro é um tipo de embarcação exclusiva da ria de Aveiro, onde as águas do rio Vouga se juntam com as do Atlântico. De proa levanta, pintada com belo colorido e figuras ornamentais, de origem popular; com pouco calado, navegam pelas águas tranquilas dos canais que penetram na cidade.




Faz recordar as gôndolas venezianas e as embarcações da Albufeira de Valência. O que levou a baptizar a Aveiro como a Veneza do Atlântico. Uma comparação algo exagerada, mas que dá una certa ideia, pelo aspecto singular da cidade.




Os moliceiros eram empregados para carga e transporte, principalmente para recolher o moliço, uma alga marinha que era utilizada para fertilizar os campos de cultivo. Com a vela içada tinham um porte elegante e altivo. Actualmente são utilizados com fins turísticos e vão impulsados com motor


76 comentarios:

Maria dijo...

Amo estes barcos. De facto, adoro barcos, todos. Estes de forma especial.
Obrigada pela partilha, Duarte.

Um abraço.

Vieira Calado dijo...

Outra bela reportagem fotográfica!

Bem bonita!

Forte abraço

Luís Coelho dijo...

Bom dia caro amigo Duarte

Esperava com alguma ansiedade mais uma reportagem tua.
Esta de hoje encheu-me de muita cor e de desejo de voltar a Aveiro e de viajar nesses moliceiros encantados.

Agradeço todas as palavras deixadas no lidacoelho e principalmente aquele teu abraço que me chega em cada comentário.

Desejo-te um ano de 2011 muito bom, com muita saúde, paz e prosperidades.

Não sei dizer muitas palavras mas deixo-te aquela que transporto e me identifica - amigos são os melhores tesouros.
Que nesta amizade sintas o meu abraço.

Sara dijo...

Não pude deixar de me lembrar de uma memorável viagem que fiz num destes, até à ilha de S. Jacinto: um belo barco, águas cristalinas, sol quente e boa companhia. Recomendo vivamente!
Um abraço.

Duarte dijo...

Maria,
estive vendo-os todos os dias durante dois anos, os que estive na Base Aérea de São Jacinto "a ilha da morte lenta" para alguns, eu gostei.
Era uma cadeira que tinha por aprovar, consegui-o!
Um grande abraço

Duarte dijo...

Vieira Calado,
satistaz-me saber que é do teu agrado.
Um forte abraço

Duarte dijo...

Luis,
amigo, sabes que existe reciprocidade. Quero o melhor para ti. Se tu estás bem eu também estou.
Estive na terra e com pouco tempo para dedicar a este meio, mas deu para alguns passeios. Como tu muito bem dizes, para matar saudades. Não ia a Aveiro desde tenra idade, e gostei muito! Aquele Aveiro Mariola que cantávamos na camioneta...
Saúde da boa e um grande abraço, bom amigo

Duarte dijo...

Sara,
São Jacinto, quantas saudades tinha! Por ali andei dois anos. Quantas vezes sobrevoei a zona! Aquele pinheiral que me levava à praia, de dunas imensas... Quanta beleza!
Os versos são de então, era assim que via a Ria todos os dias...

Abraços

Justine dijo...

Amigo, a tua reportagem está tão luminosa como foi a nossa tarde de domingo nesta nossa cidade quase-aquática:)))
Abraço amigo

Duarte dijo...

Justine,
querida amiga, "fui muy feliz":)))
Momentos inolvidáveis, para repetir!
Abraço, como o que nos demos na despedida, quando o sol já se esgueirava pela linha do horizonte...

La Gata Coqueta dijo...

Con la lentitud que aporta la tranquilidad paso a disfrutar un día más de tus letras enlazadas con el primor de la pluma que sabe sonreír en cada renglón escrito...

Hoy es día de fiesta y armonía para pasearse por las verjas de los amigos y posar en ellas un suspiro emocionado al ir encontrando el afecto que nos abre la puerta incondicionalmente y nos dice adelante...

Un beso y un ramito de azaleas para que sigan guardando tus pensamientos llenos de sentimientos...

TQ.

María del Carmen

Dois Rios dijo...

Querido amigo,

Gostei de saber. Admito que não sabia da prática e tampouco o que significava "mocileiro". Perdoe-me a ignorância.

Fiquei encantada com a beleza dos barcos. As três primeiras fotos são verdadeiros cartões postais. Parabéns pela linda reportagem, meu querido Joaquín.

Beijo,
Inês

Sara dijo...

Mi estimado Joaquín...ya necesito ese paisaje...ya quiero levar ancla,disponer las velas al viento y navegar....surcar mil paisajes marítimos....ya necesito el mar...que me aleje el viento de la costa....cuanto más mejorrrrrrrrrrrr.
Preciosa entrada.
abrazotedecisivo con todo mi cariño... renovado para este 2011.

Duarte dijo...

María del Carmen,
TÚ, siempre fiel a tus convicciones, lealtades y afectos...
Gracias querida amiga, por ser tan amiga mía.
Um gran abrazo de buena amistad

Duarte dijo...

Inês,
convivi com eles, na distância, deixei-me seduzir pela sua silhueta, pelo entorno, algo muito belo! Da Torreira a São Jacinto, aquilo é algo paradisíaco.
Desde a cidade é beleza, as cores tão vivas, pela intensidade; tão atractivas, pela força dos desenhos... todo um espectáculo.
Mas se os vês deslizar pelo impulso do vento, ou do homem, com aquela vara cravada no leito da Ria, então ficas estupefacta, paralisada... vê-los carregados de moliço, com a água quase a entrar no barco... a aparecer entre a neblina como fantasma de beleza... ASSIM SÃO OS MOLICEIROS, aquelas, aparentemente frágeis, embarcações.
Abraço-te emocionado com o que me inspiraram as tuas palavras..

Duarte dijo...

Sara,
sé que estás ahí, aquí me tienes, buena amiga.
Tengo que llevarte a mi tierra, hacer que te llenes "da SAUDADE", lo que ya empieza a hacer mella en mi.
Estoy de acuerdo, un pacto para siempre...
Un gran abrazo y mi amistad

Augusta dijo...

Belas Fotografias! Retratam bem a beleza ....a beleza de Portugal!
Lembrei-me do Fado Moliceiro, de Ary dos Santos e Carlos Paredes.
Deixo-o aqui.....

Morro de amor pelas águas da ria
Esta espuma de dor eu não sabia
Sou moliceiro do teu lodo fecundo
Sou a ria de Aveiro, o sal do mundo

Vara comprida
Tamanho da vida
Braço de mar
A lavrar, a lavrar.

Morro de amor nesta rede que teço
E é no sal do suor que eu aconteço
Para além da salina
O horizonte me ensina
Que há muito mar
Muito mar p'ra lavrar
P'ra lavrar.

Beijinhos.
Augusta

Manuel A Lopes dijo...

Belo trabalho e belissímas fotos.Parabéns Joaquim!
No ar fica o desafio para uma viagem marítima, de norte a sul de Portugal.
São as Maceiras das cortas do sargaço nas praias de Viana, o Caíco e as Lanchas Poveiras, o Rabelo do Douro, o Ovarino da arte da xávega, o Nazareno,a Fragata e o Varino do Tejo, a Canoa do Sado e o Barco da Guadiana. Todos eles testemunhos de beleza com as alegrias e desgraças dum povo de marinheiros,pescadores e lavradores.
Um abraço.

Duarte dijo...

Augusta,
obrigado, que bonito!
Conheço bem o poeta e o músico, mas não conhecia estes poemas, nem o fado. Gostei.
Agradeço a participação.
Abraços de amizade

Duarte dijo...

Manuel,
palavras amigas, as tuas. Sabes quanto gosto de fotografar, mas ainda me faltam alguns meios, mas não creio que demorem em aterrar...
Estou de acordo contigo, só preciso de tempo. Uma vida anterior muito intensa não me permitiu estas veleidades.
Tenho dois livros com títulos iguais, só que um é em espanhol e o outro em português, que outrora me inspiraram nessa ideia, ambos uma jóia, já os verás!
São: O homem e o mar, com fotografias de Mauricio Abreu e o texto de José Manuel Fernandes, editado pelo Circulo de Leitores; El hombre y el mar, com fotografias de Carlos Agustin y Ramón Rabal, el texto é do Premio Nobel de literatura Camilo José Cela, publicou-o Plaza & Janés.
As tuas palavras expressam sentimento, levam uma certa carga poética... Parabéns!
Um grande abraço, bom amigo

AFRICA EM POESIA dijo...

LINDO o que vejo quando entro aqui. Aveiro é uma cidade linda..
Tem mil encantos.
Eu não me canso de fotografar a Ria pois tem sempre um encanto diferenteQuando voltares tem que ser com tempo para darmos um passeio na Ria...
Beijos..

Duarte dijo...

Lili,
aceito. Quantas vezes atravessei essa Ria com o barco da Base! Que boas recordações. Mas como disse mais acima o que mais me fascinava eram as neblinas e aquele prateado brilhante que quase cegava.
Um grande abraço, querida amiga

São dijo...

De facto a comparação é exagerada e, por isso, apanhei uma desilusão aquando da minha primeira visita à cidade...mas os moliceiros sempre me encantaram até hoje!

Um abraço carinhoso, querido amigo.

Poetiza dijo...

Joaquin, bello paseo por tu blog, mi alma vuela en pensamiento. Besos, cuidate mucho amigo.

Claudinha ੴ dijo...

Caro Duarte! Ainda estou de férias, mas voltando aos pouquinhos à blogosfera!
Que lindas as imagens dos barcos e das águas cristalinas. Tenho amigos em Aveiro (deve ter visto no post de uma semana cultural em que estiveram aqui), estão fazendo mestrado emmúsica e em história. Um casal, o rapaz é músico daqui.
Gostaria de tê-los visto com velas içadas, mas mesmo voltados ao turismo, são belos.
Um beijo!

poetaeusou . . . dijo...

*
amigo,
,
toda a ria tem aromas históricos,
eu sinto nessas paragens, a
azáfama dos meus avoengos
Fenicios,um delta, só
comparavel á foz do Nili !
,
abraço,
,
*

Manuela Freitas dijo...

OLá amigo Duarte,
Fantásticas fotografias. Gosto muito de Aveiro, tem uma certa magia, fazem uns passeios pelos canais interessantes e tem bons restaurantes!...
Há uns anos, estava na Torreira/S. Jacinto e assisti a uma corrida de barcos moliceiros! Gostava muito de ir para o outro lado, que paisagisticamente é muito bonito.
Um grande abraço e desejo de um bom ano!
Manuela

Duarte dijo...

São,
gosto da elegância desses barcos, adornados com desenhos atrevidos e nostálgicos, com essas cores tão vivas que o embelezam.
Um abraço pleno de afecto

Duarte dijo...

Sandra,
agradezco tus afectos y te doy un gran abrazo.
Cuidate mucho

Duarte dijo...

Claudinha,
querida amiga, desfruta que o bom tempo dará passo ao menos bom. Hoje fez um bom dia por aqui, algo anormal no Inverno e em Janeiro.
Pude dar fé de que haviam diversas actividades culturais, ademais Aveiro é uma cidade pequena.
Na área da cidade já não se vêem, mas pela zona da Torreira a São Jacinto sim, que é onde ainda se pratica a agricultura.
Um grande abraço e continuação de boas férias.

Duarte dijo...

Poetaeusou,
e o Ebro em Tarragona...
Mesmo assim os moliceiros e o que eram tais azafamas bem o caracterizam. Como então os nazarenos tirados por bois... que bonito!
Abraços

Duarte dijo...

Manuela,
também posso dizer que comi bem, além dos bons passeios e excelente companhia.
Concordo plenamente contigo, e já o mencionei mais acima, fiquei fascinado, algo inolvidável, do que vi e apreciei na estrada da costa, uma paisagem mais natural, única!
Agradeço as tuas palavras e dou-te um grande abraço

La Gata Coqueta dijo...

Hola amig@ el saludo de este fin de semana lo he dejado en el blog Mis caricias del alma para todos los que me acompañais asiduamente, con un presente que preside la entrada, espero te guste.

Ha sido adornado con la caricia de mis pupilas, la que te acerco al dejarte estas letras.

TQ.

Marí

Duarte dijo...

MarÍ,
ya estoy deseando ver que maravilla me tienes preparada...
Noté la suave caricia de tus pupilas... gracias.
Un gran abrazo

Lena dijo...

Ja parecia que estava em Veneza Duarte....
Aveiro ali tão pertinho e não sabia que assim era...
Os barcos são lindos, duma grande leveza...
Belo post como sempre...

Beijinhos

Canduxa dijo...

Querido Amigo Duarte,

Sem dúvida que fizeste a melhor opção para mostrares a grande beleza de Aveiro: os moliceiros.
Coloridos, diversificados e encantadores tornam a cidade mais alegre e encantadora.
Gosto de lá passar, olhar a ria e tenho quase sempre vontade de dar um passeio nesses barcos tão cheios de segredos....mas nunca aconteceu!
Grande reportagem...produtivo o passeio na companhia da tua amiga Lili.

Um abraço amigo

Canduxa

Duarte dijo...

Lena,
já tens um sitio mais para pesquisar. Mas tem muitas coisas mais, até ovos moles e trapalhada... mas que bom!
Gosto muito de Aveiro.
um grande abraço

Duarte dijo...

Canduxa,
quando estive com a Lili não deu para ir até Aveiro. Voltei uns dias mais tarde com um grupo de bons amigos.
Gostarás, os barcos estão motorizados, mas deslizam lentamente... dá para apreciar!... As velas ainda davam mais cor!
Conheço bem a Ria, foram dois anos que deu parta muito. Mas gosto mais do outro lado... é mais puro, tanto em paisagem como em tarefas.
Querida amiga, um grande abraço

Rosa dos Ventos dijo...

A última vez que estive nesta bela cidade foi com a Justine! :-))

Rodolfo N dijo...

Ya toda una costumbre en vos,querido amigo,el enfoque elegante ,la narración precisa y las pinceladas de cultura.

Un abrazo

PD:En mi blog: www.poesiayprosa.blogspot.com ya publiqué tu hermosa inspiración.Gracias.

Duarte dijo...

Rosa,
foi com ela que eu voltei... :))

Duarte dijo...

Rodolfo N.,
estoy intentando captar tu atención, al extremo de motivarte para que vengas a vernos: de momento no lo he conseguido.

Paso a ver tu blog...

Un gran abrazo

Duarte dijo...
Este comentario ha sido eliminado por el autor.
lita duarte dijo...

Duarte,
lindo post.
Belas imagens.

Bjos.

Duarte dijo...

Lita,
vindo de ti, que sabes muito destas artes, aceito-o agradecido.

Abraços

São dijo...

Vim desejar-te um bom fim de semana e, se me permites, levo-te a primeira foto, rrss

Besos

rendadebilros dijo...

é muito bonita a evocação.
Abraço.

Rodolfo N dijo...

Amigo Duarte mi nombre completo es Rodolfo Alberto Natiello, y tu poesía es tan sutil que da temor alterarla en algo,espero no haberlo hecho.
En cuanto a tu tierra, lógicamente sería un sueño cumplido poder visitarla, conocerlos personalmente,caminar entre esas bellezas llenas de historia ,misterio, tradición y estética, pero...el hombre propone y Dios dispone.
De todas maneras igual agradezco a Dios, el poder visitar tu página semanalmente como si lo hiciera personalmente,viendo y visitando amigos de España y Portugal y transitar lugares, paseos,museos y conociendo la gente de tu tierra.
Un abrazo,amigo

Duarte dijo...

São,
claro que sim, querida amiga.
Que tenhas um bom fim de semana.
Abraços

Duarte dijo...

Rendadebilros,
sim, lembranças que moem, mas positivamente.
Beijinhos

Duarte dijo...

Rodolfo,
perdona el error, no sé si recuerdas, que te comenté que tengo un amigo que se llama Rodolfo, como tu, mas de apellido Navarro; interpreté entonces que existía una coincidencia, pero acabas de aclararme que no es así, que te apellidas NATIELLO. Procederé a la rectificación y ruego me disculpes.

Para mi, querido amigo, seria una gran satisfacción poder acompañarte por los rincones más bellos de la Península Ibérica. Será cuando lo considerares oportuno.

Un gran abrazo

Duarte dijo...

EN EL BLOG
http://poesiayprosa.blogspot.com/
DE MI AMIGO RODOLFO ALBERTO NATIELLO, PODREIS LER UNA EXCELENTE TRADUCCIÓN DE MI POEMA "DESPEDIDA".LA SENSIBILIDAD DE ESTE AMIGO, SIEMPRE TAN A FLOR DE PIEL, HA CAPTADO MI SENTIR.
OS GUSTARA

GRACIAS

OS ABRAZO A TODOS Y A TODAS

La Gata Coqueta dijo...

Hola amig@!! Te invito a que me acompañes dando un paseo por la orilla del mar, iremos dialogando en silencio mientras nuestros ojos se pierden entre las doradas dunas que bordean el entorno bajo un benigno clima que siempre acoge al visitante.

De paso haremos una alto en el camino para reponer fuerzas, tomando un mus de gofio, a la vez que brindamos a los oídos la oportunidad de sentir el embrujó de estas tierras al escuchar una Isa o unas Folías música arraigada a estas tierras Canarias.

¿Me acompañas?

María del Carmen

Silenciosamente ouvindo... dijo...

Também adoro Aveiro. Estive lá há
dias com umas pessoas que vieram
da Bélgica e adoraram. E esses barcos são realmente muito bonitos.
Bonita homenagem que fez a uma região que também vive do Turismo.
Tenho um novo blogue. Ainda bebé,
mas irá caminhando.
http://sinfoniaesol.wordpress.com
mas vou manter os outros.
Beijinhos e bom domingo

M. Jesús Verdú Sacases dijo...

Como siempre, Duarte, nos traes el encanto y la belleza de hermosos lugares de esta tierra que siempre alabas en tus posts. No me extraña: parece mágica.
Muchos gracias por los cariñosos comentarios que siempre me dejas. Eres todo un caballero.

M. Jesús Verdú Sacases dijo...

Por cierto, Duarte, a partior de la lectura del último comentario que me has dejado, quería preguntarte que si sabes de alguna publicación con la que yo pudiera colaborar con mis escritos, por favor, me lo indicaras

Graça Pereira dijo...

Querido Amigo
Gosto de Aveiro e vou lá de vez em quando pelo prazer de encontrar uma cidade que me surpreende sempre mas, se não conhecesse Aveiro com esta tua reportagem belissima, cheia de cor e sol, eu ficaria tentada na primeira oportunidade conhecer o que aqui nos mostras.
Obrigada por nos dares a conhecer o nosso Portugal tão lindo e variado.
Beijo e boa semana.
Graça

BRANCAMAR dijo...

Olá amigo Duarte

São muito lindos os moliceiros.
Fizeste-me sentir saudades de Aveiro onde já não vou há muito tempo.

Bejinhos
Branca

Duarte dijo...

María del Carmen,
claro que si, quien se resiste a tal planteamiento?! Imposible!!! Que poético!
Soy gran conversador y amigo de la naturaleza, junto a ti me sentiría muy a gusto...
Cuando y donde?

Recibe todo mi afecto en un fuerte abrazo

Duarte dijo...

Silenciosamente ouvindo,
há muito que não ia a Aveiro e gostei. Voltarei, e desta vez não vou demorar tanto tempo.
Passarei a ver esse bebé...
Beijinhos

Duarte dijo...

M. Jesús,
son así de bellos los rincones de mi tierra...
Mi proceder es obra de aquello que me inspiras. Celebro al saber que es de tu agrado.
Gracias por el calificativo

Duarte dijo...

M. Jesús,
últimamente estoy algo desvinculado, pero haré indagaciones y te digo algo.
Me encanta lo que escribes.

Duarte dijo...

Graça,
o meu agradecimento pelas palavras de consolo que me estendes. Se gosto digo-o, se não é assim, para não prejudicar a ninguém, faço o silencio...
Gostei muito de Aveiro.
Beijinhos e um forte abraço, querida amiga

Duarte dijo...

Branca,
volta, gostarás... está pertinho!
Só tens que viajar com vontade de passear pela Ria, visitar o Museu de Aveiro, uma maravilha! Comparado com o que vi quando andava no Gomes Teixeira. Há, e se podes, depois de comer, pede uma trapalhada, não te arrependerás!...

Um grande abraço, boa amiga

La Gata Coqueta dijo...

Paso a visitarte personalmente para presentarte el regalo “Arte y pico” porque tu eres parte de esa gran familia de bloggers a la que me enorgullece pertenecer, percibiendo sin medida, la calidez fraternal que ha enlazado los pilares de nuestra comunicación.

Espera con ansia ser acogido en tus brazos desde este momento en Mis caricias del alma, dando por sentado que él lo sabe apreciar con profunda satisfacción...

Una sonrisa te entrego para que se sumerja en el interior de tu alma y se aúne a la tuya.

María del Carmen hoy y siempre!!

Duarte dijo...

María del Carmen,
gracias, querida amiga, por los mimos con que me tratas.
Eres un ser maravilloso que admiro y aprecio
Un gran abrazo

Dilberto L. Rosa dijo...

Salve, Duarte: prazer em, enfim, ler algum de teus escritos, dado o largo tempo que vejo tua "marca registrada" na forma do avatar do desenho "D"! Creio que teus outros blogues sejam no Espanhol e, talvez por isso, não os tenha lido antes (idioma enferrujado de minha parte)! Pisas a linha fronteiriça entre as duas bandas da Península Ibérica, é isso?!

De muito bom gosto o teu espaço e parabéns, não só pelos escritos, como também pelas lindas fotografias e por algumas poéticas idiossincrasias, como o carinho pelo heroísmo estóico dos bombeiros!

Um abraço, feliz 2011 (ainda em tempo) e até uma outra vez!

M. Jesús Verdú Sacases dijo...

Paso a dejarte un cariñoso saludo y a seguir disfrutando de tan bellas fotografías

São dijo...

Obrigada...e que seja muito bom este teu fim de semaan. Abraço-te com estima.

Duarte dijo...

Dilberto,
gosto do modo como comentas as tuas apreciações.
Dum modo geral escrevo o texto de acordo com o tema, por isso em espanhol ou em português.
Quanto à tua curiosidade, tudo se deve ao facto de ter nascido em Pedras Rubras e viver em Valência. Pude comprovar, por experiência, o pouco que se conhece este vizinho, para muitos um desconhecido, e pensei que a melhor maneira de o fazer seria criar uma Associação, e assim o fiz. O blog, inicialmente, foi criado para ponto de encontro dos membros da Associação, e acabou por ser para os que se interessam por tão formosa terra. Ao mesmo tempo vou contando coisas daqui e, assim, vamos estreitando laços.
Sempre tive uma grande sensibilidade pelos soldados da paz...

Um grande abraço e aparece sempre

Duarte dijo...

María Jesús,
gracias, querida amiga. Es un placer verte por aquí.
Besos

Duarte dijo...

São,
sabes que te tenho um grande apreço.
Bom fim de semana e um grande abraço

Vieira Calado dijo...

Olá, como está?

Vim ver se os moliceiros já chegaram ao cais... rsrsrs

Um forte abraço

Duarte dijo...

Vieira calado,
estou a desembarcar!...
O meu desejo é que estejas bem, que eu sim que o estou.
Um grande abraço

tulipa dijo...

MOLICEIROS são LINDOS

desde os meus 7 anos que oiço falar deles e os vi pela 1ª vez; eu nasci e vivi em África - Moçambique e vim com os meus pais a Portugal com 7 anos e a minha mãe é da região dos moliceiros, eu adoro vê-los, com cores fortes.
LINDOS!!!

Bom Domingo e excelente semana.
Um abraço.

Duarte dijo...

Tulipa,
vi-os pela primeira vez numa excursão na etapa escolar.
Fiz a tropa em São Jacinto, ao outro lado da Ria.
Gosto muito daquela terra.
Beijinhos e uma boa semana