domingo, 16 de marzo de 2014

LA PLANTÀ




Para todos os amigos que falam português, este ano vou-vos contar, na nossa língua, em que consiste esta fase tão importante das FALLAS
Hoje, 15 de Março, é o dia da Plantà.



PLANTÀ, de plantar. As distintas peças que formam uma Falla, são transportadas do local onde foram construidas, grandes oficinas, até ao sitio onde vão ser montadas, em ruas e praças. Todos os materias devem ser combustíveis: madeira, pano, papel, papelão, esferovite, etc., sempre que admitam pintura.
As peças são embrulhadas em plástico e transportadas em camiões. 
Uma vez no sitio, vão sendo montadas até formar aquilo que o artista "fallero" então desenhou. 
Em Valência existe uma área bastante extensa onde estão estas oficinas, a chamada "CIUDAD FALLERA".



Durante vários dias, cada Falla teve um ninot, cada um dos bonecos da Falla, na exposição do ninot. Para que os visitantes possam elegir o que vai ser el ninot indultat, ou seja, o boneco elegido, de todas as Fallas, que não será queimado, e que passará ao Museu Fallero. Sim, porque tudo isto será queimado na noite de São José, 19 de Março.




No dia 16, desde a primeira hora da manhã, dará inicio a DESPERTÀ. Os falleros saem à rua e vão disparando petardos, bombas, sempre acompanhados por uma banda de música, que vai interpretando peças que foram criadas para tal fim, as Fallas



É então, quando um júri visita todas as Fallas, para outorgar-lhe o prémio correspondente. Algumas vezes com grandes polémicas, sobre tudo na secção especial, a dos grandes monumentos. Existem várias secções. São plantadas umas setecentas Fallas, incluidas as infantis. As crianças jogam um papel importantíssimo na festa, são o futuro e isso é algo que se tem bem presente, pois garante o futuro desta festa.




PREMIOS

Secção especial

1
Plaza del Pilar
2
Convento de Jerusalén-Matemático Marzal
3
Cuba-Literato Azorín

Ninot indultat
Miguel de Cervantes, escrevendo.

FALLA EL PILAR

























FELICES FALLAS

44 comentarios:

La Gata Coqueta dijo...



Queda prohibido no intentar comprender a las personas,
pensar que sus vidas valen más que la tuya,
no saber que cada uno tiene su camino y su dicha.

Queda prohibido no crear tu historia,
no tener un momento para la gente que te necesita,
no comprender que lo que la vida te da, también te lo quita.

Queda prohibido no sonreír a los problemas.
Queda prohibido no buscar tu felicidad…
…yo la busco cada amanecer y me responde con una sonrisa.

¡¡Un cálido abrazo
y felices fiestas Joaquín!!

Atte.
María Del Carmen





Silenciosamente ouvindo... dijo...

Meu amigo, realmente fez bem em
nos contar como tudo isso decorre.
Tanto trabalho, e depois queimar
tudo? E deve-se gastar imenso
dinheiro. No fim é escolhida
uma Falla para o Museu. Muito
interessante.
Deve ter imensa gente a ver.
São uns dias diferentes...
Divirta-se,
Bj.
Irene Alves

Duarte dijo...

María del Carmen,
qué bien!!! Que positiva te veo, querida amiga, lo que mucho me satisfaz.
Soy de ese modo de pensar, de que sirve la melancolía? Vive y sé feliz.
Acaban de disparar el castillo, ahora calma hasta la despertà.
Un abrazo muy fuerte

Duarte dijo...

Irene,
o mesmo me passou a mim. Como é possível que se queime estas grandiosas obras de arte?! Aparte de que seria impossível armazenar tanta arte, os profissionais do ramo têm que seguir trabalhando. Está a queimar-se a Falla e já estão a preparar os esboço da do próximo ano.
Alguma chegou à bonita quantia de cento cinquenta mil Euros, por Falla, das da secção especial. A Junta Central Fallera, ultimamente marcou um limite de cem mil, mas pode que ocultem cifras...
O que vai para o Museu é o NINOT, o boneco, a escultura, só uma peça, não o conjunto do monumento.
Este fim de semana visitaram Valência um milhão e meio de turistas.
A cidade tem aproximadamente um milhão de habitantes, mas muita gente sai da cidade, já conhecem a historia de memoria, é um dizer. Durante o dia, e até altas horas, à muito ruido, entre música, bombas, paellas na rua e foguetes: em suma, FESTA grande.
Um grande abraço

Elvira Carvalho dijo...

Caramba amigo deve ter dando um trabalhão enorme construir todas essas figuras e depois são queimadas? Que pena.
Um abraço

Menina do Rio dijo...

São alegorias fantásticas, Duarte. Um trabalho de arte perfeito! É uma lástima queimar todo esse material causando uma grande poluição, quando deveria ser reaproveitado, reciclado...
Grande e fraterno abraço ao amigo de sempre!

Pérola dijo...

Por demais interessante, este evento.

Gostei e aprendi imenso com a partilha.

Obrigado.

Beijo

Cândida Ribeiro dijo...

Magnífica reportagem das Fallas.
Estás de Parabéns querido amigo, pois explicaste tudo na perfeição.
Dá gosto ver tanta arte e dá pena só um ser eleito.

Um abraço cheio de sol

Canduxa

São dijo...

Belissima e interessante como sempre!

Bom Dia do Pai e grande abraço, amigo

Duarte dijo...

Elvira,
é o trabalho de um ano de uma grande quantidade de artistas, quase todos das BBAA.
Os monumentos são criados por peças e depois montados, La Plantà. Mas tudo parte dum projecto minucioso.
Essa foi a mina expressão de então, hoje compreendo-o. Muita gente vive disso.
Abraços

Duarte dijo...

Verônica,
é certo, mas é uma tradição que foi crescendo de tal modo que ninguém a pode parar, como o carnaval da tua terra. Algo que os miúdos vivem desde que nascem. Muitas mães vão à ofrenda com os filhos nos braços.
Também tens razão, neste momento a cidade está em chamas, queimam-se mais de setecentas Fallas, apenas se podem ver as cores do fogo de artificio. Alguma lágrima se derrama, as "falleras" sentem-se tristes... a festa chega ao seu fim. Foram cinco dias intensos.

Duarte dijo...

Pérola,
fico feliz por saber que algo te pude ensinar. Levo aqui mais de 40 anos aqui e sigo apaixonado por esta cidade e por esta festa.
Beijinhos

Sara dijo...

Me imagino que después de tanta fiesta ha llegado la calma, el sosiego...para el año que viene más fallas...gracias por compartir querido amigo.
Nuestro abrazotedecisivo

Vicente dijo...

Muy bien Ximo, así se divulga las fiestas de la tierra.
Abrazos, amigo mío

manuela barroso dijo...

Ola querido amigo,
Uma pena que se queimem tantas horas de trabalho e de alegria. Mas quando te lia, lembrava-me ao mesmo tempo é assim mesmo a vida: não se pode ficar parado no tempo é preciso esquecer o que já passou e continuar vivendo, sonhando o amanhâ. Estive em Valência por altura da Páscoa. Adorei a cidade. E gostei imenso de conhecer esta faceta mais, de nuestros hermanos...
Abrazo fuerte!

Mariazita dijo...

Já tinha ouvido falar em Plantá, mas não fazia ideia do que era. Agora, sim, fiquei completamente esclarecida com a tua informação detalhada e óptima reportagem fotográfica.
Realmente é pena queimarem tudo no final (com a excepção do eleito), mas não haveria espaço para guardar essa enorme quantidade. E depois... na vida tudo se renova, não é mesmo?

Obrigada, querido amigo, pelas tuas lindas palavras.
Quando pensamos em alguém querido que perdemos temos sempre a sensação de que não lhe demos tudo que podíamos ter dado...
É assim a condição humana.

Bom fim de semana.
Beijinhos

Duarte dijo...

Cândida,
assim é, são as tradições dum povo. Hoje faz-se divicil alterar o que leva séculos fazendo-se assim: eu alteraria várias coisas, uma cidade com um milhão de habitantes não pode estar cinco dias bloqueada, colapsada. A malta aguenta estoicamente, en defesa das tradições da terra, mas muitos saem da cidade.
Aquele abraço amigo

Duarte dijo...

São,
obrigado, menina bonita. Isso ajuda a seguir...
Um gran abraço, querida amiga

La Gata Coqueta dijo...



Existe un lugar donde todo es posible...
Donde todo es verdadero, donde se siente paz,
donde las flores tienen un aroma especial,
y los abrazos van acompañados de una esencia diferente.

Y en este lugar…
¡¡El corazón!!

Es donde yo acojo al amigo que tiene la amabilidad,
de pasar a visitarme y dejarme
unas palabras salpicadas de cariño cada semana.

Besos y abrazos multicolores en este domingo,
para ese especial amigo hoy mañana y siempre!!

Atte.
María Del Carmen




Justine dijo...

Aí sim, seria um dia de aniversário diferente!! Que festa magnífica! Que esculturas belas e imaginosas, ainda mais belas por serem tão efémeras.
Será para o ano??
Um beijo pela tua reportagem, meu amigo

Duarte dijo...

Sara,
si, los petardos han cesado, los ruidos han acabado, la cuidad ha reanudado su día a día, felizmente.
Ya trabajan para el próximo año.
Un gran abrazo

Duarte dijo...

Manuela,
presenciaste alugam procissão da Semana Santa? A SS Marinheira, sendo um acto religioso, também é uma atração destacável nesta terra.
Volta, uma cidade é um livro que se lê com os pés, ainda tens muito para conhecer.
Aquele abraço amigo

Duarte dijo...

Mariazita,
assim é, já começaram com os bocetos do que será a festa te vem.
Uma festa que atrai multidões, que repetem, porque mesmo seguindo o mesmo guião nunca é igual.
Existe reciprocidade, querida amiga. Obrigado, pelas tuas atenções.
Uma boa semana, e um grande abraço

Duarte dijo...

Vicente,
tu, de algún modo, me has enseñado muchas cosas de la fiesta. Sobre todo de la Batalla de Flores... ARTISTA!
Un gran abrazo

Claudinha ੴ dijo...

É maravilhosa esta festa! As cores, as caricaturas! Como gostaria de ir num dias destes e presenciar as Fallas!
Obrigada amigo!
Abraços!

Everdina Kleeb- van Dongen dijo...

Es un comentario muy documentado en un estilo muy bueno, las fotos son ideales solo explícame que es esferovite, por lo demás lo he entendido perfectamente. Espero que me perdones el retraso, pero los días falleros no son para estar mucho al ordenador. Besos Diny

Duarte dijo...

María del Carmen,
ser amigo es sinónimo de amor fraternal, algo que brota de lo más intimo. De no ser así no vale, es falacia!
Abrazos de vida, querida amiga

Duarte dijo...

Zé,
assim é esta festa de destacada, de diferente; com as cores de Sorolla, as formas de Benlliure, os sons de Serrano, os efeitos dos Caballler, incomparáveis.
Só de ti depende, querida amiga. Por mim, quando queiras.
Obrigado, abraço-te com agradecimento

Dois Rios dijo...

Interessante, meu amigo!

Por que existe um dia específico para o Plantà? Desde quando existe este ritual? Por que queimam tudo na noite de São José?

Beijos,
I.

Duarte dijo...

Claudinha,
cá te espero, não te arrependerás, é uma festa por excelencia. É uma questão de animar-se!
Um grande abraço

Duarte dijo...

Diny,
totalmente de acordo. Tu também participaste neste safari fotográfico fallero.
"O esferovite" es el poliestireno, el corcho blanco plastificado. Es fácil de moldear, esculpiendo. Al quemar el humo es muy negro.
Eres una alumna aventajada.
Beijinhos

LUZ dijo...

Olá, querido amigo, Duarte!

Está bem e feliz? por aqui, tudo bem, excetuando o tempo.

Tenho de ir a Valência, porque essa cidade tem "coisas" fantásticas, gigantescas, sumptuosas, e eu gosto de luxúria, de requinte.

Sabe que quando estava a olhar cada peça, lembrei-me doas imagens do carnaval, que teve lugar há pouco tempo, como sabe. Estará, historicamente relacionado, esta festa com o carnaval, mesmo indiretamente.

Parece-me que a mesma tem características pagãs, mas que há figuras colossais e muito bem elaboradas, isso há.

Compreendo que não possam ficar todas, todos os anos, porque já não haveria espaço para elas na cidade. Assim, tem de se eleger UMA, a que considerem mais representativa e com maior criatividade, mas claro, escolher e avaliar, é muito difícil, porque cada pessoa tem o seu gosto e preferência.
Tem de se aceitar, a decisão, do júri, como é lógico.

Gostei muito dos deuses, sentados nos livros, por exemplo, mas, ao vivo, poderia ter outro parecer.

PARABÉNS POR ESTE SEU TRABALHO, E AO MESMO TEMPO, ENSINAMENTO.

Dias bem luminosos. Aqui, tem estado um frio de rachar. Virgem Maria!

Um amistoso e cordial abraço, da Luz, que tem novo poema.

Duarte dijo...

Inês,
vou tentar responder, dentro do meu possível, às tuas perguntas tão inteligentes.
Antes de que fosse establecido o termo Falla, lá pelo século XVIII, já se faziam fogueiras. O gremios dos carpinteiros criou esta festa, porque os carpinteiros, ao finalizar o Inverno, faziam fogueiras para queimar os restos da madeira sobrante, assim como as virutas que iam acumulando durante a época invernal. Como o São José é o seu padroeiro, faziam-o na noite da véspera, ao mesmo tempo que davam o adeus ao Inverno e celebravam o nascer da Primavera. De algum modo uma fogueira purificadora.
A data do dia 15 está pensada para dar tempo às distintas fases da festa que, assim, se vê adornada com os monumentos. Então tudo se fazia no dia 15. Actualmente começam a montagem no dia 12, pela complexidade das obras a construir. No dia 16 passa o júri, e nos dias 17 e 18, pela manhã, as diferentes comissões passam pela Câmara, desfilando com o estandarte respetivo, elementos directivos e banda de música, ao que se chama "pasacalles", para receber o premio que lhe foi atribuido pela Junta Central Fallera: o organismo responsável de tudo o que tem que ver com esta FESTA, assim com maiúsculas, porque o é. No dia 17 e 18, pela tarde, as mesmas comissões desfilam pelas ruas da cidade para fazer a oferenda à Virgem dos Desamparados, padroeira dos valencianos, portando ramos de flores. Com estas flores confeccionam, especialistas no tema, uma imagem da Virgem, na praça da Virgem, onde se encontra a Basílica da Virgem, ao lado da Catedral.
O dia 19, dia do padroeiro, São José, é a festa grande. Começa de madrugada com "La nit del foc", a noite do fogo. Depois do dia 15 todas as noites à fogo de artificio, mas o dessa noite é espectacular, por isso se denomina assim. Ao meio-dia a mascletà, que esse dia é especial. O resto do dia é para descansar da azafama dos dias anteriores, até ao cair da noite, que é quando começam a queimar as fallas: "la cremà". Primeiro a dos miúdos e a última a do primeiro prémio. Quase nunca se cumpre esta norma, pois só se queima a falla na presença dum corpo de bombeiros que, com mangueiras na mão, vão controlando as chamas.
Espero ter-te complacido e criado o interesse suficiente para que te animes a vir até cá.
Um grande abraço, querida amiga

Lena dijo...

Grandes Festas que são as Fallas...
penso que não existe algo que se compare a elas em algum lado..
é tudo imenso, impressionante, gigantesco, lindo, fora do comum...
Pena é que se queima quase tudo...
Vale a pena de as ver ao menos uma vez na vida...:)

Beijinhos Duarte

Rosa dos Ventos dijo...

Parabéns pela bela reportagem!

Abraço

Duarte dijo...

Luz,
já tardas!!!...
O Carnaval é antes. Aqui também se celebra, mas noutro teor, excepto em Cadiz e nas Ilhas Canarias, que é em grande, ao estilo do Brasil.
No que comento à Inês já podes sacar conclusões. Mas agrego que todas as figuras, "ninots", possuem uma vincularão com tudo aquilo que passou durante o ano, ademais em poesia e com rima. Sempre com um toque satírico, de burla. As grandes vitimas são, na maioria, os políticos.
Agradeço a tuas palavras de apoio, ajudam a seguir.
Um abraço bem grande, querida amiga

luís rodrigues coelho Coelho dijo...

Agora começo a entender o teu amor a estas actividades aí em Valência.
Estes festejos são muito mais populares do que imaginava e são ainda momentos de muita criatividade.
A nossa guia turística explicou-nos levemente estas festas.
Aqui mostraste as construções dos faleros e a organização para o final da festa dos prémios.
Fiquei com o desejo de uma vez na vida poder ver ao vivo nessa cidade encantadora.
Carregámos as nossas malas com as mais gratas recordações de toda a cidade.
Um abraço amigo.

Dois Rios dijo...

Muito interessante este ritual, meu amigo Joaquín! Fiquei plenamente ciente de todos os meus porquês, rs.

Muito obrigada por este rico esclarecimento!

Beijos ternos,


Inês

Duarte dijo...

Lena,
estão comparadas, em grandiosidade, ao carnaval do Rio de Janeiro e ao San Fermin de Pamplona. Mas com características totalmente diferentes.
Cá te espero.
Um grande abraço

Duarte dijo...

Rosa,
obrigado, isso ajuda a seguir.
Abraços

Graça Pereira dijo...

Uma reportagem que deslumbra... Só tenho pena que depois seja tudo queimado, depois de tanto trabalho tão belo mas...tradição é tradição!
Um dia terei de as ir ver pessoalmente...não encontro nada tão grandioso em lado nenhum.
Parabéns por este trabalho
Abraço
Graça

Duarte dijo...

Luís,
amigo, como bem dizem aqui "nunca es tarde si la dicha es buena": sabia que, uma vez aqui, o entenderias.
Estiveste, mas não viste nada, só passeaste um poco pela cidade do Turia...
Aparece quando queiras, e possas, aqui me tens. Desta vez deu para que nos víssemos... e te contasse algumas coisas ao vivo.
Um abraço bem grande

Duarte dijo...

Inês,
o teu interesse tinha que ser compensado.
Fico feliz com isso.
Abraços de vida

Duarte dijo...

Graça Pereira,
é a alma dum povo, por isso é respeitada. Paraliza a cidade cinco dias, e algum mais!
Aparece, querida amiga, não te arrependerás.
Um grande abraço