jueves, 20 de noviembre de 2008

ANOITECER DE OUTONO

Como o dia, vai caindo o outono...







... é o fim dum equinócio que nunca desejo que acabe; tudo é único, tudo é diferente, inigualável: ainda é OUTONO

Sou feliz
É Outono!
Completa-se o ciclo
Não faz tanto calor
O frio ainda não chegou
Assim é o Outono de equilibrado
A natureza faz-se atractiva
Ganha em colorido
Desde o cinzento
Ao vermelho ou dourado
Até à cor do fogo, rubro intenso
Parece que tudo está em chamas
É fascinante!
É Outono!...
Os raios de sol perdem força
Anoitece mais cedo
As praias ficam solitárias
Imagens para reter!...
Momentos para arquivar
Nenhum anoitecer é igual
Nada se parece ao Outono
Já sopra o vento
O céu encheu-se de nuvens
Chove...
Cheira a terra molhada
Suporto a chuva
Suporto o vento
Suporto tudo o que é do Outono
Como se fosse parte de mim
Como se fosse eu
Ó Outono!!!...

80 comentarios:

elisa dijo...

me encanta conocer tu faceta de poeta! ¡y qué preciosas las fotos!
¡Precioso el otoño,Duarte, divino el verano, me encanta el invierno... qué puedo decirte de la primavera que no sepas...!no soy una enamorada de la vida,por muchas cosas que no vienen a cuento, pero casi.
abrazos

elisa dijo...

As praias ficam solitárias...
xusto o que máis me gosta do outono. Tes que escribir máis cousas así!e logo queixámonos de anduriña a preguizosilla!
unha aperta

Duarte dijo...

Elisa,
eres una enamorada de la vida, no puedo aceptar un casi de una persona con la sensibilidad que tienes. Me tienes enganchado a tus escritos, poemas e prosa.

Besos

Duarte dijo...

Elisa,
também gosto de caminhar pela praia e sentir que de vez em quando o mar ou o oceano, que mais dá, vem beijar-me os pés.
Como me apertas!
Um grande abraço

Vieira Calado dijo...

Pois que para lá vamos... para o outono!...
Belas as fotografias.

Um abraço desde esta "Meridional Praia Lusitana"

Meridinal praia lusitana (dum meu poema) e, pela 1ª vez, divulgado.

Duarte dijo...

Vieira Calado,
caminhamos a passo lento mas firme no outono da vida, mas que nos permita presenciar muitos outonos.
Um abraço desde terras del Cid

Passarei a ver-te

Tormenta. dijo...

Precioso de verdad! que pasada.. que romántico aisssssssssss que me pongo tonta! me alegro mucho de estar por aquí de nuevo un besazo grande guapa, nos leemos!.

mdsol dijo...

Mas que revelação! Fotografias inspiradoras e palavras muito sentidas. Um post diferente do habitual que gostei muito de ver!
Saluditos
:)))

Duarte dijo...

Tormenta,
aparece siempre que quieras. Intentaré seducirte a través de la palabra y de la imagen.
Besos

Duarte dijo...

Mdsol,
um pouco para variar, querida amiga.
O blog está enfocado a assuntos vinculados aos associados de amigos de Portugal, mas para romper rotinas deixo-me levar pela palavra e pela imagem que, como sabes, são, em parte, a minha debilidade.

Beijos de agradecimento

anamorgana dijo...

Belas fotos e belo poema o outono que he uma estação muito bela. descubri este blog por un azar eu tornarei por aqui. Saudos
anamorgana

Duarte dijo...

Anamorgana,
aparece sempre que queiras será um prazer ter-te por aqui.
Sou um enamorado do outono o que faz com que as palavras brotem por si sós.

Saudações de agradecimento

Sara dijo...

Dios mio que chulada de fotos, son impresionantes y esas letras..., esos sentimientos... geniales de bonitos y sentidos!!!!

Un abrazote

sarah dijo...

Duarte, estou dacordo co que dis dos sonetos, nembargantes parémenme un pouco ríxidos para tódalas poesías e sentimentos, que precisan de outra lixeireza e rapidez de ritmo; por outra banda si estiveramos a esperar pola perfección dos sonetos, non poderíamos escribir cáseque nada, porque afogaríamos a nosa inspiración con un exercicio formal, non de contido, moi ríxido e o contido debe ser precedente á forma xa que as veces a forma sen contido non comunica nin chega as persoas. Ademáis Duarte, a lingua PORTUGUESA e GALEGA SON TAN DOCES QUE ELAS XA DE POR SÍ SON POESÍA...as cancións portuguesas que me gosta oir non serían o mesmo noutra lingua, polo exemplo o inglés, porque a premura e o sentimento que imprimen as vocais portuguesas non están na outra lingua...esas vocais abertas e pechadas coma un feitizo e que só existen na fermosa e agarimante lingua orixinal...pero estou dacordo en que hai sonetos fermosísimos, cortiños e dunha gran beleza formal.
Debes de escribir por que é fermoso o que dis, Duarte, e non sentirte cativo por non escribir só sonetos!pois os xelados son moi ricos, pero non imos estar só a comer xelados, nonsi?
unha fonda aperta

Justine dijo...

Céus, que incêndio de emoções em palavras e imagens! Hoje é só beleza, harmonia, poesia.Bendito Outono:))
Abraço amigo

JESUS y ENCARNA dijo...

Que precioso poema, Duarte, y que maravilloso atardecer..., además si no recuerdo mal eres de Otoño no?... como yo.
Petonets
Encarna

Duarte dijo...

Sara,
gracias por el entusiasmo demostrado, son actitudes como la tuya que me inducen en seguir.

Un gran abrazo

Tinta Azul dijo...

Também gosto do teu Outono.
:)

Duarte dijo...

Sarah,
gostei muito da dissertação que fazes dos sonetos. Claro que escrever com métrica e ademais sonetos é sumamente difícil, Cheguei a estar uma tarde para escrever-lhes um aos meus pais e acabei por rasgar a folha depois de deixar repousar e não ser do meu agrado. Ao resto das poesias, em linhas gerais, vejo-os como uma prosa corrida em espaços curtos. Gosto e escrevo, a prova está neste post, mas não deixo de pensar assim. Fernando pessoa foi um dos grandes em dar-lhe certo auge a este tipo de poesia. Quando eu ia ao colégio praticamente nem existia como tal, tudo era medido sistematicamente.
Português e Galego, são línguas que ganham muito recitadas, pois a fonética enriquece-as.
Obrigado pelo apoio. Geralmente escrevo, mas não incluo no blog.
Um grande abraço

Duarte dijo...

Justine,
surges com uma euforia outonal tal que me deixaste pensativo... que escrevi eu? Já, como não estás habituada a que me expresse assim daí a tua explosão de sentimentos. Faço-o mas não o exteriorizo geralmente.
Obrigado pelos piropos e palavras de boa amizade.
Abraços

Duarte dijo...

Encarna,
así es querida amiga, nací en el otoño pero además es como se llegase aquel espacio de tiempo en que todo es más placido, ya que los calores se han idi y los fríos no han llegado, Todo esto adornado con eses tonos del paisaje que solamente ahora son susceptibles de ver.
Me agrada compartir contigo el otoño.
Petonets

Duarte dijo...

Tinta Azul,
satisfaz-me, enormemente, que o meu outono seja do teu agrado.

Besos de complacencia

Ana dijo...

Estou de regresso depois de uma ausência forçada.
Um problema grave na saúde do meu marido fez-me interromper as minhas navegações pela net.
Agora que tudo parece regressar à normalidade, vou podendo dispôr de mais tempo e já posso dar-me ao luxo de fazer uns comentários...

LINDOS de morrer esses poentes de Outono!
Bonitas e sentidas as palavras do teu poema.
Também estou no Outono da vida, mais a caminhar para o Inverno, essa é a verdade...
Os Outonos estão mais temperados;
ainda não sentimos frio de verdade se bem que eu já tenha acendido a lareira algumas vezes...
Essa é a parte mais agradável do tempo frio.
Quanto à chuva, gosto de vê-la caír lá fora quando estou bem abrigada.
Vento...não é comigo mesmo...

Um abraço, Duarte.

Duarte dijo...

Ana,
é um prazer ver-te de novo por aqui e mais ainda por saber que tudo vai melhor para ti. Sinto-me orgulhoso de ter-te como amiga e muito mais agora ao inteirar-me dessa entrega incondicional.
Se gostaste, tal e como expressas, isso faz-me feliz.
São outonos de sabedoria!
Um grande abraço querida amiga

São dijo...

As fotografis estão simplesmente magníficas!!
Do texto também gostei, claro.
Bem hajas, querido amigo.

María dijo...

Ay, amigo mío, Duarte:

No te imaginas lo feliz que me encuentro de que, por fin, haya podido entrar en tu blog, pero lo he hecho como tú me dijiste, buscando tu nombre y apellido a través de google, y entrando desde allí, no me da error, pero antes, lo hice desde mi blog, y nada, es imposible, desde allí no puedo, así que, entraré desde google, que es de la única manera de poder visitar tu blog.

Y qué alegría encontrarme con estas bellas imágenes, que decoran tu precioso blog, unido a uno de tus poemas, que hablan del otoño, y de la felicidad de tus sentimientos, así me siento hoy, y el haber entrado aquí ha contribuído en ello.

Y aunque a mí no me gusta el otoño, leyéndote, me ha gustado.

Es otoño en tu blog,
la luz radia por cada rincón,
tus versos son destellos,
que desprenden colores,
de paz, armonía y felicidad.

Te deseo un feliz sábado y te dejo un beso muy grande y muy radiante.


PD.- Si supieras lo mal que me va el pc, pero, nada, sigo sin llevarlo.

Véu de Maya dijo...

um poema bem lindo e tão outonal pela nostagia do sonho que evoca...

abraço

poetaeusou . . . dijo...

*
meu outono
poema clickado,
palavras fascinantes,
vermelhos dourados,
do meu contentamento,
,
um abraço amigo, deixo,
,
*

Duarte dijo...

São,
saindo de ti, ademais com tal convicção, começo a crer que efectivamente o post não saiu mal.
Um grande abraço de reconhecimento

Duarte dijo...

María,
¡por fin! que alegría verte por aquí.
Si mi mensaje ha contribuido para que seas un poco más feliz y además para que te agregues al ya nutrido grupo del otoño, a mi tal causa efecto me llena de satisfacción.
Gracias María tus palabras me aportan el aliento que necesito, al bordarlas con un lindo poema.
Que tu estado de euforia siga en progresión para que tengas un domingo radiante.
Recibe todo mi afecto en un gran abrazo

Duarte dijo...
Este comentario ha sido eliminado por el autor.
Duarte dijo...

Poetaeusou,
só uma sensibilidade como a tua
reconhece o alcance do verso
feito poema nos meus dias
outonais...

Un forte abraço, "deixo"

Duarte dijo...

Véu de Maya,
essa foi a intenção das minhas palavras deixadas cair em forma de verso.

Abraços

María dijo...

¡¡¡¡¡Milagro, Duarte!!!!! acabo de entrar desde mi blog y no se me ha puesto la página en error, pero me han dicho muchas personas que también les está pasando a muchos como a mí, entrando en algunos blogs, por lo que quizá se deba a cosa de internet, bueno de momento, yo he entrado hoy bien, y te deseo un feliz domingo.

Un beso enorme, amigo mío.

tulipa dijo...

Não há nada mais fascinante e cativante do que conhecer in loco novas culturas.
Assim o fiz mais uma vez.
Sou uma privilegiada, Deus tem sido meu Amigo por me proporcionar momentos tão magníficos.
Consegui realizar mais um sonho na minha vida.

Noutras áreas a coisa não corre muito bem, mas a Esperança é a última a morrer, continuo diariamente na luta por aquilo que quero, hei-de conseguir.

Beijinhos.
Boa semana.

Também regresso HOJE depois de 12 dias ausente.

Juani lopes dijo...

hoy te salio la vena poetica, que a mi tanto me gusta adornada con tus bellas fotografias
Hoy salio a la luz tu vena artista que yo tanto admiro
saluditos

PoesiaMGD dijo...

Belas imagens, deliciosas palavras!
Boa semana!

http://www.escritartes.com/forum/index.php?referredby=3

Rosa dos Ventos dijo...

É assim que está o nosso Outono, de uma beleza espantosa!

Abraço

Duarte dijo...

María,
después de todo lo que estás pasando con el dichoso ordenador es obvia tu expresión de satisfación. Por mi encantado de verte por aquí, eres una gran y buena amiga y eso agrada.
Un gran abrazo

Duarte dijo...

Tulipa,
ir cobrindo etapas é todo um privilegio e dá seguridade.
Felicito-te pelos êxitos que já alcançaste e oxalá os logres todos.
A esperança nunca se perde, para que estamos aqui?
Bem-vinda.
Um grande abraço

Duarte dijo...

Juani,
¡lo hice pensando contigo!
Sabes que mi blog está, en principio, enfocado a la Asociación, pero nadie describe nada y sé que pasan por aquí.
Bueno iré haciendo cositas de este tipo para romper lo rutinario.
Gracias por tus palabras amigas y de consuelo.

Un gran abrazo

Duarte dijo...

Poesia MGD,
obrigado, são palavras que ajudam a seguir.
:))
Que tenhas dias maravilhosos

Duarte dijo...

Rosa dos ventos,
vai ficando menos e vamos ter que suportar o inferno invernal.

Beijos

andorinha dijo...

Duarte adorei o teu poema e o teu sentir.
O Outono é fascinante, pleno de cores, único e inigualável.
Deixo-te um abraço com amizade.

Duarte dijo...

Andorinha,
as tuas palavras são tão concisas como contundentes, expressam o efeito duma leitura meditada e um sentir.
Recebo esse abraço sentido e deixo-te um beijo de afecto

gaivota dijo...

lindissimas fotos e poema...
parabéns! viva o outono e as suas cores misteriosas, de encantar!
beijinhossssss

Duarte dijo...

Gaivota,
as tuas palavras de apoio me impulsam a seguir melhorando.
Obrigado, o outono me fascina!
Um grande abraço

São dijo...

Neste Dia contra a Violencia de Género, deixo o meu votos para que a harmonia cósmica e a paz interior estejam na tua vida.
Besos, caríssimo.

María dijo...

Gracias amigo Duarte, por tus palabras, ¿y sabes lo que te digo? que cualquier dia tiro mi pc por la ventana jajaja, ahora no es que me salga 1 ventana en todo el medio de la pantalla avisando de virus sino que son 2, pero estoy encantada de poder entrar a tu blog sin que se me ponga en error la página, ahora me pasa con otros blogs.

Vengo a desearte una feliz tarde de otoño, que más bien parece de invierno aquí en España, ha nevado por muchos lugares.

Un beso.

Lena dijo...

belo retrato outonal
cores e cheiros
poetizado por ti
Também tivemos um belo outono por aqui, mas ja se foi...

um beijo

Duarte dijo...

São,
Plenamente de acordo. Esforço-me diariamente para que assim seja.
Um grande abraço querida amiga.

Duarte dijo...

María,
menos mal que nos pudimos liberar del problema, pero no del mal. Tirar no, si tiene solución, pero dependiendo de la máquina que tengas, y teniendo en cuenta lo que valen hoy, esa podría ser una buena opción.
Gracias, querida amiga por tus tan buenas intenciones. Acabo de comer unas castañas asadas que estaban muy buenas, sabores otoñales...
Besos

Duarte dijo...

Lena,
estes dias já esfregamos bem as mãos, mas na linha do horizonte seguem as marcas outonais.

Besos

Rodolfo N dijo...

Preciosas fotos e inmejorable el texto para pintar una estación del año proclive a la serenidad, a la reflexión y a la poesía.
Un abrazo, amigo

Duarte dijo...

Rodolfo N.
Querido amigo así es como lo entiendo, y vivo. Gracias por tu valoración.
Un fuerte abrazo

AnaPacheco dijo...

Que fotos lindassssssssss!!!
Foi o Duarte quem as tirou???
O concerto foi muito bom e eles são uns verdadeiros entretainers :)) Valeu mesmo a pena, um espectáculo!
Ta tudo bem com o Duarte? Amanhã vou para a Madeira, passar uns diazitos de férias, sem fazer nenhum lol
Bjinhos

Duarte dijo...

Ana Pacheco,
sabia que ias gostar!
Sim, são minhas. Tirei-as ao sair da cidade das ciências.
Linda terra, desejo voltar. Não regresses sem ir à Camacha; ao cabo Gião; a Santana, aqui vai-te parecer que estás em Valência; ao Curral das Freiras; ao jardim Botânico... Não te esqueças de trazer-me uma Orquídea ao teu gosto e uma Esterlicia.
Boa viagem e uma feliz estadia numa das maravilhas naturais do mundo, a Madeira.

Já falta menos para que me convides a umas castanhas assadas.

Um grande abraço, com saudades

mariam dijo...

Duarte,
Este post "és tú"! Gostei de (re)ver as fotografias e adorei o poema :)

"
... é o fim dum equinócio que nunca desejo que acabe; tudo é único, tudo é diferente, inigualável: ainda é OUTONO"

... mas virá o Inverno, que no agreste também pode ser "doce" ...

hoje por aqui a noite está gelada!

resto de boa semana
um grande sorriso :)

ah!voltarei aqui no fim-de-semana, para ler com tempo os infra :)

mariam dijo...

outra coisa, ao sair do memorável concerto de "Katia Guerreiro" descobri que uma das minhas amigas gosta muito de "Aldina Duarte" (eu também) :)

sorrisos :)
mariam

Duarte dijo...

Mariam,
sim, um pouco nostálgico. Intuição de mulher...!
Não gosto das temperaturas extremas, por isso prefiro o equilíbrio dos equinócios e, ante tudo, o meu outono.
Beijos e sorrisos

Duarte dijo...

Mariam,
congratula-me o saber que o grupo cresce...

Sorrisos dum outono decadente... virá a primavera, e outro OUTONO também para o meu deleite.

Besos de gratitud

mariam dijo...

que nada! não há Outonos decadentes... nunca!
(não percebi a "excepção"... deve ser do adiantado da hora!)

um abraço
mariam

uma abraço

Carla dijo...

Cores fabulosas nas imagens e nas palavras...mesmo com o frio, o Outono tem uma magia muito especial
beijos

Duarte dijo...

Mariam,
... que se extingue, que acaba, um fim de ciclo...
é como uma despedida!

Abraços

Duarte dijo...

Carla,
é uma grande satisfação, muito grata, saber que estamos na mesma onda.
Beijinhos

Claudinha dijo...

Olá Duarte!
Que belo poema. o Outono é lindo sim, as cores são mais atraentes e há o equilíbrio. Sinto isto, mesmo não tendo as estações tão bem definidas como vocês de além mar...
Abraço!

Duarte dijo...

Claudinha,
de "além-mar! " Gostei muito desta maneira tua de expressão.
Espero que algum dia o possas viver pessoalmente.
Um grande abraço

Menina do Rio dijo...

Lindas matizes outonais! Refiro-me tanto às imagens, quanto ao poema! A natureza tão bem expressada com cheiro de folhas caídas ao vento...

Um beijinho pra ti e obrigada pelo carinho de tuas palavras, Duarte!

É certo que sonho publicar um livro com meus poemas, mas tb é certo que precisaria bancar, visto que as Editoras brasileiras não investem am quem faz poesia. Quem sabe um dia...

mariam dijo...

Duarte,
vim só desejar um bom fim-de-semana
um abraço e um :)
mariam

mariam dijo...

ah! e não me lembro daquelas asas, mas adorei o teu coment. Obrigada. :)

MARTHA THORMAN VON MADERS dijo...

Cheiro de terra molhada, quando os ventos chegam e as folhas caem...
belo demais.
beijos apareça

Duarte dijo...

Menina do Rio,
"com cheiro de folhas caídas ao vento" Que bonito! O que quer que escrevas soa a poesia,..

Aí, aqui, em todo o mundo, a poesia é rama pobre da literatura. Não todo o mundo escreve poesia. Bom, a maioria da poesia que se vê por internet, se é que a isso se pode chamar poesia, não possui a qualidade mínima para ser um poema, e menos poesia. Umas quantas palavras ditas com certo sentido e sentimento e já está.

Se te decides, comprometo-me a fazer a maquetação.

Um grande abraço

Duarte dijo...

Mariam,
estive todo o fim de semana ocupadíssimo e só agora pude ler a tua mensagem. Obrigado.
Que tenhas uma boa semana

Um abraço e mil sorrisos

Duarte dijo...

Mariam,
uma pena!!!
Ademais impossível. As enfermeiras pára-quedistas estavam em Tancos e eu na Ota.
Se foi do teu agrado eu tão feliz
Beijinhos

Duarte dijo...

Martha,
assim é: o jardim que tenho na minha rua hoje está cheio de folhas, que o vento no seu constante soprar induziu a que caíssem, tinham acabado o seu ciclo!
Um grande abraço

São dijo...

Amigo, cada vez gosto mais das fotos!
Feliz semana.

Duarte dijo...

São,
me satisfaz saber que assim é. "Mirada felina!"
Beijos e uma boa semana.

Dois Rios dijo...

Meu sempre querido e gentil Duarte,

Tuas palavras sempre me soaram como poesia. São suaves e encantadoras. Agora eu chego aqui e as encontro em forma de versos e estrofes. E mais, encontro também belas imagens que só quem sabe olhar o céu, consegue captar. És um poeta, meu querido! Estou absolutamente fascinada.

O meu mais terno beijo,
Inês

Duarte dijo...

Inês,
conseguiste emocionar-me! as tuas palavras brotam com essa sensibilidade que tanto te caracteriza e ocorre o inevitável, as essências fluem em caudal.
Se pude fascinar-te me sinto feliz por isso.
Um grande abraço donde a ternura se faça sentir

pepa dijo...

Este si eres tú. Te expresas tal como eres, da igual fotografiando que escribiendo.
Bonito conjunto.

Besos y abrazos