viernes, 30 de octubre de 2009

AO MEU PORTO ( I de V)






AO MEU PORTO




Escrever-te, ademais de intimidade, é o desejo de transmitir-te a divulgação dos meus sentimentos mais íntimos para contigo. É nas distâncias curtas donde se pode intuir o verdadeiro grau de afectuosidade e satisfação em tal vinculação.




Cada vez que nos fundimos num novo abraço sussurro timidamente, não mudes muito, não percas esse encanto que tanto te caracteriza. Estás longe de ser a cidade que me cativou quando, sendo um garoto, te atravessava a pé da Trindade à ponte de Dom Luís, mas, ao introduzir-me nas tuas ruelas estreitas, cheira-me a Porto, sabe-me a Ti.




Sem duvida que a distância une. Uma vez mais se faz latente esse vocábulo que tanto nos identifica, saudade. Para notar fortemente esse nobre sentimento, não é preciso chegar muito longe, mas sim sentir na ausência a presença.
Tive que ausentar-me para atrever-me a expressar-te aquilo que sinto, a querer-te muito mais. Como não vejo a mutação diária, noto muito mais a mudança a que foste submetida. Algumas vezes parece que tropeço com a minha infância, e noutras, que estou em um sitio totalmente desconhecido. Aprendi a valorizar o muito que tinha: agora toco-te e apalpo-te só de longe em longe!
Só são duas sílabas, mas como aferram. Cada qual leva dentro de si as imagens da sua infância, juventude, ou dos sonhos dourados; e, no fundo, uma predilecção pelo que realmente é seu, que faz com que se mantenha viva a imagem retida, fazendo-a tão formosa como outrora.








Claro que já não me impressionam os edifícios da avenida dos Aliados, nem as obras da câmara, assim como as dos correios; contrastando com a sumptuosidade das muitas igrejas, com os azulejos a brilhar nas suas fachadas e, em especial, a obra de Nasoni, pela que sempre senti uma grande atracção.




As pedras da rua deram passo ao asfalto, algumas árvores desapareceram, os jardins cobriram-se de cimento: menos mal que os edifícios têm melhor cara; os de granito perderam o óxido, e os outros o verdete. Todo portuense, sentir-se-á, como eu, tão orgulhoso de Ti, de como te fazes grande com os anos, ainda que sejas um pouco menos nossa.





O coração do velho Porto não envelhece, de sabor castiço, donde quase não entra o sol, mas tu sim brilhas com luz própria.




Faço incursões para embeber-me do teu sabor; Cordoaria, Barredo, Vitoria, Ribeira... pressinto-te em cada esquina, tudo cheira a Ti.






Ao atravessar o coração dum velho Bairro, paro para contrastar, a imagem de como te conheci, com a de como te vejo: alucinante! Por um lado, o abandono a que chegaste, e, pelo outro, o muito que progrediste.







Quantas vezes, depois de tanto vagabundear por ruas e praças, experimentei por breves momentos uma ligeira inquietude, o desejoso de chegar a casa para poder plasmar no papel as vibrações percebidas naquele deambular entre ruas e vielas. Talvez uma visão? Um cheiro? Pura quimera! Mas sim a obsessão por entesourar tudo o que é teu.





Esta é a primeira de cinco entregas de "O MEU PORTO".
Este textro está protegido no Registo General de la Propiedad Intelectual, com o Número de Aciento Registral 09/2008/1801

49 comentarios:

María dijo...

Hola, amigo Duarte:

Me alegro mucho ser la primera en comentar.

¡¡¡Y qué bonito paseo me acabo de dar!!! con las imágenes tan bellas que has puesto, me encanta disfrutar de las fotografías, qué ciudad más bella es Porto, y que además, conozco, y me llevé muy buen recuerdo de allí, con tan lindos paisajes, y sus casas de colores, las calles estrechas, me parece precioso Portugal, de verdad, gracias por recordarme estos lindos lugares.

Te deseo un feliz comienzo de semana, amigo mío.

Un beso.

poetaeusou . . . dijo...

*
o Porto
com um grande " Rio " ...
parabens,
,
um abraço,
,
*

Duarte dijo...

María,
querida amiga, sé que te atrae mi tierra y siempre que puedes te escapas a verla.
Este post es la primera entrega de cinco, espero que disfrutes con todos ellos.
Hice varias incursiones por toda la ciudad, el agosto pasado, para reunir las fotos necesarias para pode dar una pequeña muestra de mi Tierra.
Que tengas una buena semana y seas muy feliz.
Un fuerte abrazo

Duarte dijo...

Zé,
sim, imensa, reúne o imprescindível de uma grande cidade... mas, carregada de méritos para que seja considerada e reconhecida como uma das cidades mais belas do mundo: por isso é Património da Humanidade.

Obrigado pela deferência, tu, pessoa "docta" e com bom gosto...

Um forte abraço

Justine dijo...

É uma história e amor linda, essa que nos contas com as tuas palavras doces e fotos brilhantes!
Deu-me vontade de ir ao Porto rapidamente:))

Duarte dijo...

Justine,
avisa-me e vou contigo...
São sentires que a saudade acusa.
Tuas também :))

Lena dijo...

Tantas saudades retratadas aqui Duarte;
o Porto foi umas das cidades visitadas que me encantou.
Gosto, claro do sitio da Ribeira, mas também sentir o cheiro caminhando pelas ruelas.

Obrigada pela boleia nesta viagem até o Porto...adorei !

Beijinhos

Cris Caetano dijo...

Como eu amo esta cidade... :) Fotos magníficas, texto lindo... saudades.

Beijinhos

Duarte dijo...

Lena,
só lamento não ter sido o teu guia. Conheço a minha cidade passo a passo e até gosto de perder-me nela. como se isso fosse possível!
Prepara-te para o que vai vir...
Abraços

Duarte dijo...

Cris,
que luxo, ter-te por aqui.
Perto daqui nasci, por aqui cresci, por aqui estudei, por aqui me aproximo sempre que posso, por aqui quero continua a seguir vindo... até ao fim... é o meu Porto! Sei que é o teu também, um dos motivos que fez com que me decidisse a colocar aqui o que há muito escrevi sobre ela de ele...
Saudosos abraços

Sandra dijo...

Porto.
Não é a minha cidade berço, mas é a MINHA cidade, tal como mãe que me acolheu e acolhe nos seus braços.

Inspiro as fotos e revejo locais que não me canso de percorrer vezes e vezes sem conta. Adoro perder-me nas ruas sinuosas, nos jardins de Serralves, nas fachadas recuperadas.

Sinto também falta dos jardins perdidos que deram lugar ao cimento frio. E abomino os prédios que cresceram no meio da cidade.

É o futuro no presente e no passado.
Mas não é por isso que deixa de ser a cidade de maior beleza de Portugal.

As janelas que se abrem para o rio, janelas cheias de cor que contam histórias.

Ideias soltas enchem-me o pensamento. Ideias descoordenadas que escrevi aqui.

Obrigada Duarte.
Fico á espera de mais, com urgência (isto não é para pressionar).

Beijinhos
Sandra

Duarte dijo...

Sandra,
vais ter muito mais, o que acontece é que o tempo não é muito, mas terás, prometo que sim.
Gosto muito do que escreves e como o expressas, veio a enriquecer aquilo que digo, e que verás plasmado no que virá.
Sabes que, para mim, é um prazer escrever sobre aquilo que quero.

Um chi-coração

Juani dijo...

tuve el honor de leer este texto en primicia, ya hace tiempo y ahora ilustrado con tus fotografias aun me gusta mas, realmente nuestra tierra es preciosa. Estoy segura que al final la gente tendra una bella imagen de la segunda ciudad de portugal, porque aunque te quiero mucho amigo mio para mi Lisboa es la octava maravilla del mundo
saluditos

Duarte dijo...

Juani,
sin duda, Lisboa es una ciudad muy bella, pero Porto tiene encantos incomparables... y no hablemos de historia!
Es el privilegio de seas amiga mía.
Besos

Justine dijo...

Duarte, perdi a antiga conta do Hotmail, e todos os endereços. Não posso contactar-te senão por esta via...:((
O meu novo mail é
justine.1947@hotmail.com
Beijo

Duarte dijo...

Justine,
ponho-me em contacto contigo pelo meio habitual.
Tomo nota...
Beijos

Rosa dos Ventos dijo...

Bela música, belas imagens, encimadas por Vimara Peres no Largo da Sé!

Abraço

Duarte dijo...

Rosa,
correcto. Sei que conheces bem o meu Porto.
Gostei.
Beijinhos

gaivota dijo...

lindas fotos do teu porto!
parabéns!
beijinhos

Duarte dijo...

Gaivota,
tudo é fruto da saudade, querida amiga, olha-se doutro modo... são raízes!
Abraços

São dijo...

Perfeita esta combinação de estupendas fotografias com esta canção do Veloso.


Vim oferecer.te uma hortense para a lapela deste teu espaço.

Se me deres o gosto de a ires buscar lá casa, obrigada desde já.

Serena noite para ti.

Duarte dijo...

São,
se é do teu agrado fico contente.
Claro que passo...
Um forte abraço

Arabica dijo...

Amigo Duarte,

o bom filho a casa torna!

Nunca a esquece, afinal, por muitas serranias conheça, por muitos rios navegue, por muitas casas, pernoite.

É sempre à primeira casa, que tornamos, felizes.


Um abraço, votos de um bom fim de semana, sem vento, sem mácula.

Duarte dijo...

Amiga Arábica,
palavras eloquentes, as tuas, para definir uma realidade. Gostei.
Bom fim de semana.

Abraço-te com a calidez precisa

AFRICA EM POESIA dijo...

Duarte
Gostei de te ver no meu espaço.
Foi bom veres que o meu baú é cheio de boms sonhos e lindas recordações..
um beijo para ti

Duarte dijo...

Lili,
é um imenso prazer ver-te por aqui.
Se o passado foi fértil em momentos daqueles que se vivem com intensidade, as recordações não podem ser menos interessantes.
Um grande abraço

mariam dijo...

Duarte,

Impressionante o teu post! Palavras cheias da emoção que te liga às raízes... o teu Porto ! E as imagens, muito belas sem dúvida! Parabéns!

então, venha o próximo!

um sorriso :)
mariam

Vicente dijo...

Bonita ciudad y magnífias fotografias.
Tengo buenos recuerdos de tu tierra.
Abrazos

Duarte dijo...

Mariam,
agradeço as tuas palavras plenas de compreensão e sensibilidade: são palavras amigas que emocionam.
Já comecei a preparar as fotografias, é coisa de dias.
Beijos e aquele sorriso :))
Joaquim

Duarte dijo...

Vicente,
seria muy bueno que nos encontráramos un día en Porto, entonces podrías decir con convicción aquello que expresas hoy.
Un fuerte abrazo: besos para Pilar

Duarte dijo...
Este comentario ha sido eliminado por el autor.
Menina do Rio dijo...

Duarte querido,
a maioria dos meus amigos vive no Porto. Eu já conheço esta cidade, sem nunca ter ai estado e confesso que sinto-a um pouco minha, em mim...

Tu sabes do atraso na publicação do livro, assim com também na disponibilização pra vendas. Ainda não tenho a lista das livrarias e as vendas estão sendo feitas pelo site, cujo link está no blog.
As coisas não saíram como eu imaginava, infelizmente...

Fica com um beijo sincero e amigo

Duarte dijo...

Verónica,
agradeço a informação.
Bom, se tens amigos no Porto suponho que tudo está a ser controlado. Aquilo que se trata de longe quase sempre leva a estas consequências.
Oxalá as coisas melhorem.
Recebe todo o meu afecto num grande abraço

Sandra dijo...

Duarte!
Vijar pelo seu blog e como esta aqui, em Portugal. Um dia se Deus quiser , e ele vai querer, vou conhecer Porto. Como é linda esta cidade.

VIM PARA...
RETRIBUIR A SUA VISITA E APROVEITANDO QUE A DOR DE CABEÇA DEU UMA TRÉGUA.
ACREDITO QUE FORAM OS REMÉDIOS MUITO FORTES.
SUA COMPANHIA É UMA ALEGRIA IMENSA.
COMO É BOM TER VC. NO BLOG.
AS AMIZADES VERDADEIRAS SÃO ÁRVORES DE RAIZES PROFUNDAS.
MUITO OBRIGADO, PELO CARINHO E VISITA. VOCÊ É O MEU BÁLSAMO. MEU REMÉDIO.AO ABRIR ESTE BLOG E VER PESSOAS QUERIDAS, ASSIM COMO VC. ME VISITANDO E DEIXANDO LINDAS MENSAGENS DE OTIMISMO, ALEGRIA, PAZ E SAÚDE, NOS FAZ SENTIR AINDA MELHOR, APÓS UM DIA DE DOR...
AMO VC. QUE PASSA NO BLOG.
NOSSA AMIZADE É UMA ALIANÇA, FEITA DO METAL MAIS PRECIOSO: O AMOR, A SINCERIDADE.
É UM GRANDE PRAZER RECEBÊ-LO NESTA CASA.
AQUI, JAMAIS SEREMOS ESQUECIDOS.
COMO DIZ FERNANDO PESSOA:" TUDO VALE A PENA SE A ALMA NÃO É PEQUENA".
SEU CARINHO NÃO TEM PREÇO.
VOCÊ É O MEU BRILHANTE.
MUITO OBRIGADO, PELAS ENERGIAS POSITIVAS.
COM CARINHO
SANDRA

Duarte dijo...

Sandra,
quando acabes de ver o resto ainda vais ficar mais enganchada.

Conseguiste emocionar-me com as tuas palavras, estão carregadas de amor fraternal o que me tocou muito dentro. Só disse o que penso e que pensei podia levantar um pouco o teu estado de ânimo.

Um grande abraço

Carla dijo...

belo este teu olhar do Porto. Espero que tenhas gostado
beijos

Duarte dijo...

Carla,
como não, se foi aqui que nasci e vivi até aos 24 anos... deixo-me cair sempre que posso... é o meu Porto!
Beijinhos

solrak dijo...

Duarte, amigo, fantásticas fotos de un lugar que espero conocer pronto, y con estas fotos cada vez tengo mas ganas.


Un fuerte abrazo.

Duarte dijo...

Solrak,
será una escalada en plena urbe, así es mi Porto de sube y baja.
Seria muy bonito que te lo pudiera enseñar... ya lo estudiaremos.

Un gran abrazo

Brancamar dijo...

Duarte,

Que bom ver aqui a minha cidade tão bem retratada! Da substituição de alguns jardins por cimento há poucos anos, também os portuenses se queixam, sobretudo na Avenida dos Aliados, no entanto surgiram outros encantos, novos parques e desenvolvimento dos que existiam como o Parque da Cidade.
Melhor aproveitamento de algumas áreas que estavam degradadas e a reconstrução continua.
Deixo um beijo de parabéns pela belíssima reportagem.
Beijos
Branca

Duarte dijo...

Branca,
palavras reconfortantes, as tuas, que se agradecem, pois estimulam.
Verás, nas entradas posteriores, outros recantos que também mudaram muito; aos que me dediquei, durante uns dias, a calcar, passo a passo, para obter imagens vivas duma cidade que cresce, que progride.
Um forte abraço e o meu agradecimento

Brancamar dijo...

Passo para rever e saber se está tudo bem.
Com tantos passeios pelo Porto na próxima vinda preciso saber com tempo para não escapar um cafezinho que pode ser no célebre Magestic ou no Guarani, na Avenida dos Aliados. Conheço o dono que os reconstruir e tem uma fantástica história de vida para contar.
Fica bem.
Beijinhos

Duarte dijo...

Branca,
o que me acabas de escrever já me estimulou o suficiente para desejar estar contigo y que me contes essas verdades que, com muito gosto, saborearei contigo diante dum bom café numa dessas duas catedrais da convivência,
Aguardo ansioso esse momento.
Um grande abraço de saudade

São dijo...

Vinha ver se já tinhas mais fotos, assim deliciei-me de novo com estas e com o Veloso, numa das não muitas cançoes dele que gosto muito.

Um grande abraço, estimdo amigo internético.

Duarte dijo...

São,
está quase a próxima entrega: está a ser laboriosa a selecção das fotografias.
A mim passa-me o mesmo, não gosto de tudo, mas não só deste artista, de todos: sempre existe uma canção que acaba por captar a nossa atenção.
Beijinhos, querida amiga

~pi dijo...

todos os lugares onde não nasci

e, porém,

re-co-nhe-ço,





mais um beijo :)





~

Duarte dijo...

~pi,
que alegria!
Ver-te por aqui proporciona una causa efeito que agrada.

Um abraço

AFRICA EM POESIA dijo...

DUARTE


Porque ´e Natal do meu novo livro deixo-te...

O DIA LONGO


O novo dia nunca mais chega...
Acordei cheia de impaciência...
Ouvi dizer...
Amanhã é Natal...
É um dia de Amor...
Acordei...
Para ver o que se passaria...
E olhei o céu...
Era igual ao céu de ontém...
E olhei o sol...
Como ontem...
O sol estava escondido...
E fui procurando...

Para mim...
Nada de novo...
Não via o Natal...


A minha casa...
Continuava igual...
As janelas...
Tinham os mesmos vidros...
Velhos e partidos...
A porta...
No fundo...
Com os mesmos buracos...
Onde os ratos
Entravam...
Sem pedirem licença...

Voltei a olhar...

E o Natal...
Afinal onde estava?
Procurei debaixo
Da grande pedra...
Na berma da estrada...
E não encontrei nada...

Depois fui a casa...
E trouxe um pão...
Pão simples, mas bom...
Quando...
Dei uma dentadinha
Com os meus dentinhos...
Pequeninos...
Vi um menino...
Pequenino como eu...
Com os olhos abertos...
A olhar o meu pão...

Nesse momento...
Senti que gostaria...
Que fosse meu irmão...

Peguei no meu pão
Dei-lhe metade...
Demos as mãos...
Caminhamos pela estrada
E
Uns anos mais tarde...
Entendi...
Que nesse dia...
Tinha sido NATAL...

LILI LARANJO

Duarte dijo...

Lili,
uma linda historia que mais bem pode ser um belo conto de Natal... gostei muito.

Beijinhos